quinta-feira, 12 de março de 2015

[Resenha] O Jogo da Mentira - Sara Shepard

Autora: Sara Shepard
Editora: Rocco
Páginas: 296
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Lying Game

O jogo vai começar. Primeiro volume da nova série da autora de Pretty Little Liars, que ficou mais de 50 semanas no ranking do The New York Times e vendeu mais de cinco milhões de exemplares, O Jogo da mentira acompanha a história de duas gêmeas separadas ao nascer e unidas por um misterioso assassino. Com uma trama ainda mais intrincada e sombria, que tem início quando Emma resolve trocar de lugar com a irmã, a série repete a trajetória de sucesso de PLL, com um enredo repleto de suspense, intrigas e reviravoltas de tirar o fôlego, e uma bem-sucedida adaptação para a TV.

Resenha:

"Somos o que fingimos ser, então devemos ter cuidado com o que fingimos ser". - Kurt Vonnegut.

Eu estava muito animado para ler O Jogo da Mentira e desde que o comprei online, fiquei contando os dias para que ele chegasse. Toda essa minha animação se dava pelo fato do seriado da ABC Family, The Lying Game - que foi cancelada injustiçadamente pelo canal e que eu amava -, ser a adaptação da história. Muitas coisas são diferentes entre as duas obras, mas ambas são ótimas e viciantes.

Vamos falar primeiramente dessas diferenças: no seriado, Sutton saía atrás da mãe das duas mas aqui ela está morta; então o plot principal já é totalmente diferente do da série - aqui temos a investigação de Emma para o assassinato, o que desperta muito mais a curiosidade do leitor. Sara tem um grande dom para escrever suspense adolescentes. Quem já leu Pretty Little Liars sabe disso e ela repete algumas características de PLL em TLG, mas com uma visão mais cruel.

Em PLL, a morte de Ali era apenas uma hipótese, mas em TLG, Sutton está mesmo morta, deixando as coisas mais perigosas para Emma, pois quem mata uma vez, pode matar outra sem problemas. Além do livro fazer jus ao título, pois a Sara joga uma pista tornando alguém suspeito, mas depois joga outra mudando totalmente nossa visão da história e nos deixa tão perdidos quanto Emma em meio a tantas mentiras.

Outra coisa que adorei no livro foi a narração alternada entre Emma e Sutton. Apesar de causar uma confusão inicial pois a Sara muda o ponto de vista do nada e o leitor só consegue diferenciar porque Sutton narra em primeira pessoa - a de Emma é em terceira -, achei bem interessante isso delas estarem ligadas o tempo todo. E é importante dizer que essa sensação passa rapidamente e você aprende a distinguir quando cada uma assumir a narração. Sem contar que mesmo parecendo uma loucura as de Sutton por ela está morta, são narrações muito boas, principalmente quando ela deixa um gancho no final do capítulo, fazendo o leitor ir para o próximo o mais rápido possível.

O único ponto negativo foram os personagens. Por se tratar de uma série de seis livros, eles não foram tão aprofundados, mas todos são ambíguos, podendo ser facilmente o assassino. Também é perceptível as mudanças entre eles nas duas mídias, principalmente no grupinho de Sutton. Enquanto no seriado, Mads, Charlotte e Laurel eram mais controladas nas brincadeiras, aqui elas são tão ruins quanto Sutton - principalmente Charlotte, que na série era a mais boazinha. Ethan e Garrett também não mostraram grandes coisas, o que deve mudar nos próximos livros. Já Thayer nem deu as caras! As únicas que mantêm a personalidade da série são Emma e Sutton mesmo.

Se você gostou/gosta de PLL ou de thrillers adolescentes, recomendo a saga. O plot principal é tão bem trabalhado que esse pequeno defeito dos personagens se torna o único e deve ser perdoado pelo fato de ser o livro inicial. Agora só me resta ler as continuações  e lembrem-se: nada de reproduzir os Jogos da Mentira em casa. Sara deu esse recado nos agradecimentos e eu achei muito engraçado.

Nenhum comentário:

Postar um comentário