segunda-feira, 26 de fevereiro de 2018

[Resenha] Trono de Vidro - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 392
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Throne of Glass
Compre: Amazon Brasil

Nas sombrias e sujas minas de sal de Endovier, um jovem de 18 anos está cumprindo sua sentença. Celaena é uma assassina, a melhor de Adarlan. Aprisionada e fraca, ela está quase perdendo as esperanças quando recebe uma proposta. 

Terá de volta sua liberdade se representar o príncipe de Adarlan em uma competição, lutando contra os mais habilidosos assassinos e larápios do reino. Endovier é uma sentença de morte e cada duelo em Adarlan será para viver ou morrer. Mas se o preço é ser livre, ela está disposta a tudo.

Resenha:

Conheça a assassina.

Sempre escutei comentários positivos sobre Trono de Vidro e Corte de Espinhos e Rosas, ambas séries de Sarah J. Maas, por isso sempre tive curiosidade sobre as duas, principalmente a primeira. Resolvi, então, começar por ela, já que consegui o primeiro por um ótimo preço e agora vejo porque a trama é tão amada.

Sarah fez um ótimo trabalho criando os personagens, pois gostei de todos, principalmente Celaena e Dorian. A protagonista é forte e decidida, sempre lutando pelo que quer; além de conseguir manter a calma e racionalizar, diferente de outras que iriam pelo instinto, destruindo seus objetivos. Já Dorian me lembrou um pouco personagens de séries do gênero, como Maxon de A Seleção, mas ainda assim possui suas particularidades e é original. Apesar de parecer um pouco rápida, gostei de sua interação com Celaena e torço muito pelos dois.

sexta-feira, 23 de fevereiro de 2018

[Lista] Séries que li e foram descontinuadas no Brasil


Infelizmente, é comum as editoras desistirem de continuar a publicar livros de uma série no Brasil. Quase nunca sabemos o real motivo para a desistência, mas quase sempre é por conta das baixas vendas dos já publicados, o que "não justificaria" investir adquirindo os seguintes.

E como elas também quase nunca informam se houve realmente uma desistência da série, muitos ainda podem a ser publicados futuramente, mas é pouco provável, devido ao tempo passado desde o último lançamento. Agora, sem mais delongas, vamos ao livros - que foram todos já resenhados no blog, então basta clicar nos links:

1. Gone - Michael Grant:

A Galera Record confirmou oficialmente em um comentário no Instagram que não publicaria o sexto - e seguintes - livro da série. Fiquei muito triste, pois adorei o primeiro livro; por isso, espero que alguma editora resolva resgatar a série.

2. Tocando as Estrelas - Rebecca Serle:

A trilogia só teve o primeiro publicado aqui, o qual eu adorei! Achei que com o lançamento da série de TV, a Novo Conceito apressaria o lançamento do segundo - o terceiro ainda não foi lançado nos EUA também -, mas até agora nada. Talvez seja a com mais chances de continuação dessa lista, já que o mesmo aconteceu com a trilogia Olho Por Olho e, no fim, a editora a finalizou.

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2018

[Resenha] Precisamos Falar Sobre o Kevin - Lionel Shriver

Autora: Lionel Shriver
Editora: Intrínseca
Páginas: 464
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: We Need Talk About Kevin
Compre: Amazon Brasil

Aos 15 anos, Kevin mata 11 pessoas. Enquanto ele cumpre pena, a mãe Eva amarga a monstruosidade do filho. Entre culpa e solidão, ela apenas sobrevive. A vida normal se esvai no escândalo, no pagamento dos advogados, nos olhares sociais tortos.

Transposto o primeiro estágio da perplexidade, um ano e oito meses depois, ela dá início a uma correspondência com o marido, único interlocutor capaz de entender a tragédia, apesar de ausente. Cada carta é uma ode e uma desconstrução do amor. Não sobra uma só emoção inaudita no relato da mulher de ascendência armênia, até então uma bem-sucedida autora de guias de viagem.

Cada interstício do histórico familiar é flagrado: o casal se apaixona; ele quer filhos, ela não. Kevin é um menino entediado e cruel empenhado em aterrorizar babás e vizinhos. Eva tenta cumprir mecanicamente os ritos maternos, até que nasce uma filha realmente querida. A essa altura, as relações familiares já estão viciadas. Contudo, é à mãe que resta a tarefa de visitar o "sociopata inatingível" que ela gerou, numa casa de correção para menores. Orgulhoso da fama de bandido notório, ele não a recebe bem de início, mas ela insiste nos encontros quinzenais. Por meio de Eva, Lionel Shriver quebra o silêncio que costuma se impor após esse tipo de drama e expõe o indizível sobre as frágeis nuances das relações entre pais e filhos num romance irretocável.

Resenha:

"Quando a gente monta um show, não atira na plateia."

Precisamos Falar Sobre o Kevin sempre foi uma história que me chamou atenção, pela premissa de um massacre escolar. Isso era o máximo que eu sabia sobre ele, por isso, ao iniciar a leitura, não imaginava o que me aguardava.

Algo que é unânime em qualquer opinião sobre o livro é que é uma leitura arrastada! A forma de narração causa estranheza inicialmente e muitas vezes parece não levar à nenhum lugar, sendo apenas páginas e páginas sem sentido. Junto à isso, temos o fato da história não possuir nenhum alívio cômico, é uma leitura densa e dramática do início ao fim. Porém, tudo se encaixa no final, nos mostrando que nenhum momento foi inserido sem necessidade. E que final! Totalmente inesperado e chocante.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

[Resenha] Juntando os Pedaços - Jennifer Niven

Autora: Jennifer Niven
Editora: Seguinte
Páginas: 392
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Holding Up the Universe
Compre: Amazon Brasil

Jack tem prosopagnosia, uma doença que o impede de reconhecer o rosto das pessoas. Quando ele olha para alguém, vê os olhos, o nariz, a boca… mas não consegue juntar todas as peças do quebra-cabeça para gravar na memória. Então ele usa marcas identificadoras, como o cabelo, a cor da pele, o jeito de andar e de se vestir, para tentar distinguir seus amigos e familiares.

Mas ninguém sabe disso — até o dia em que ele encontra a Libby. Libby é nova na escola. Ela passou os últimos anos em casa, juntando os pedaços do seu coração depois da morte de sua mãe. A garota finalmente se sente pronta para voltar à vida normal, mas logo nos primeiros dias de aula é alvo de uma brincadeira cruel por causa de seu peso e vai parar na diretoria. Junto com Jack. Aos poucos essa dupla improvável se aproxima e, juntos, eles aprendem a enxergar um ao outro como ninguém antes tinha feito.

Resenha:

"Às vezes as pessoas simplesmente fazem merda. Às vezes porque estão com medo. Às vezes elas escolhem fazer merda com os outros antes que possam fazer merda com elas. É uma forma de autodefesa de merda." - Jack.

Por Lugares Incríveis é um dos meus livros favoritos, então é óbvio que havia ficado animado para ler Juntando os Pedaços quando ele foi anunciado, principalmente pelo tema inovador sobre Prosopagnosia. É uma doença que não tinha o menor conhecimento, mas realmente existe - inclusive, um primo de Jennifer a tem -, por isso, assim que tive chance de iniciar a leitura, o fiz.

Assim como em Por Lugares Incríveis, nos apegamos com a dupla principal logo na primeira linha, pois Jennifer tem o dom incrível de criar bons personagens, com características reais. Sofremos com Libby todo o bullying que ela passa por ser gorda e cada agressão é mais dolorosa que a outra. Mas, apesar disso, o mais inspirador é ver que ela possui uma força de vontade para calar tais pessoas e quase sempre revida, não deixando-se humilhar. Já Jack também nos comove com seu problema, e a doença foi muito bem desenvolvida por Jennifer. Deve ser horrível não conseguir reconhecer rostos - principalmente para ele, após uma "confirmação" do que pode ter lhe causado esse problema.