segunda-feira, 14 de outubro de 2019

[Resenha] Tank Girl: Um - Alan Martin & Jamie Hewlett

Autores: Alan Martin & Jamie Hewlett
Editora: Astral Cultural
Páginas: 144
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: Tank Girl #1

A primeira de uma série de edições remasterizadas que apresenta Tank Girl em ordem cronológica e no triunfal preto e branco – como a natureza sempre quis!

Com introdução inédita e ilustrada de Alan Martin e material absolutamente raro da Tank Girl, uma personagem skinhead grossa, pinguça, brutal e pilota de tanque.

Resenha:

Meets Tank Girl.

Até Tank Girl: Um ser divulgado entre os lançamentos de agosto da Astral Cultural, eu não fazia ideia da existência da personagem. Mas ao ler a sinopse, já fiquei bastante curioso e isso bastou para solicitar a HQ.

Esse primeiro volume é um compilado das primeiras edições da personagem, com mais de dez histórias. Infelizmente, talvez pelo formato curtíssimo - cada história tem, em média, 15 folhas - e por serem as primeiras, quase que uma introdução, as tramas são rasas e nem todas se destacam. De todas, quatro realmente me conquistaram, apesar de outras terem me feito rir também, afinal o humor negro é bem afiado.

terça-feira, 24 de setembro de 2019

[Resenha] Diários do Vampiro - Caçadores: Canção da Lua - L.J. Smith

Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 282
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Vampire Diaries - Hunters: Moonsong

Após lutar com os Kitsune e escapar dos horrores da Dimensão das Trevas, Elena está prestes a embarcar numa nova jornada: ir estudar em Dalcrest College, a Universidade onde seus pais se conheceram.

Tudo parece estar indo bem. Seu relacionamento com Stefan está melhor do que nunca. Damon aparenta estar mudado, mais calmo e se dando bem com todos. Só que, quando estudantes começam a desaparecer misteriosamente do campus, todos se tornam suspeitos.

Principalmente depois que Elena descobre um segredo escondido há muito tempo. E dessa vez o final feliz pode estar mais longe do que eles imaginam. Acompanhem Elena, Stefan, Damon, Bonnie e todos os outros personagens pelo lado mais obscuro que a série já conheceu.

PS: Esse é o nono livro da série, por isso, a resenha pode conter spoilers dos anteriores. Além disso, há um leve spoiler envolvendo a relação de dois personagens.

Resenha:

O mal nunca dorme.

Espectro conseguiu ser um bom reinício de Diários do Vampiro e a saga Caçadores parece promissora. Mas apesar de ser uma ótima leitura, Canção da Lua possui pequenos problemas que espero serem solucionados no terceiro e último volume desse "capítulo vermelho".

Chega até a ser redundante criticar o triângulo amoroso entre Elena, Stefan e Damon, mas é que no nono livro (!) e isso ainda acontecer é irritante ao extremo. E o pior é que na trilogia O Retorno, ficou óbvio que L.J. Smith estava começando a seguir em frente ao juntar Damon com Bonnie, com que ele tinha bastante química e formava meu 2º casal favorito, mas o ghostwriter - provavelmente por ordem da editora - jogou todo essa evolução no lixo, voltou a focar no triângulo e os dois agora praticamente mal se falam.

Além da desculpa ser pífia, ainda introduziram um novo interesse romântico para Bonnie, mas que não possui um terço da graça que Damon e ela tinham. Mas fora isso, Elena, Stefan e Damon continuam ótimos personagens - principalmente os dois últimos, que possuem cenas bem engraçadas nesse volume, em especial uma envolvendo uma árvore. Meredith também continua recebendo um foco importante - ainda mais com essa trilogia chamando-se "Caçadores", o que ela é - e sua interação com Samantha foi interessante. Por fim, Matt também ganhou um plot para chamar de seu e teve uma maior participação na história central.

A história em si, é quase um recomeço para a trilogia, já que a de Espectro iniciou e terminou nele, então aqui acompanhamos os personagens agora na universidade. Foi impossível não lembrar da época que os mesmos foram para uma na série de TV, mas esse segundo livro foi quase um filler e torço para que o vilão que foi mencionado aqui realmente apareça em Destino. Além disso, a falta de explicação para o que houve com Tyler e Caroline ainda irrita; parece até que o ghostwriter os desconhece. No mais, é um livro curto e rápido e que nos desperta curiosidade, por isso se você já leu os anteriores e tem curiosidade, acho que vale a pena a leitura.

sábado, 14 de setembro de 2019

[Resenha] Diários do Vampiro - Caçadores: Espectro - L.J. Smith

Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Vampire Diaries - Hunters: Phantom

Fell’s Church está livre dos kitsune para sempre. Elena e seus amigos salvaram a cidade, mas isso teve um preço: a vida de Damon Salvatore. Elena e Stefan estão finalmente livres para ficar juntos, mas isso não é fácil. Um novo mal fervilha na cidade e agora Elena só tem um irmão Salvatore para protegê-la.

Desde que conheceu os irmãos vampiros, Stefan e Damon Salvatore, Elena Gilbert foi ao inferno e voltou. Agora que ela e seus amigos salvaram sua cidade natal de um espírito demoníaco, tudo pode finalmente voltar ao normal.

Mas Elena sabe melhor que ninguém que Fell's Church nunca será normal. Em Espectro, uma nova e perigosa ameaça de outro mundo define suas vistas sobre Elena. E desta vez ela só pode contar com um irmão Salvatore para protegê-la.

PS: Esse é o oitavo livro da série, por isso, a resenha pode conter spoilers dos anteriores.

Resenha:

"Por tudo que você odeia, isso te fará extremamente entorpecido." ULTRAnumb, Blue Stahli.

Assim como Círculo SecretoDiários do Vampiro deixou de ser escrita por L.J. Smith a partir de um certo momento - esse livro, para ser mais específico. E apesar de achar a decisão da editora bem questionável e , queria ver se a série iria se reerguer, já que a trilogia O Retorno, última de L.J., foi sofrível. Todos livros dessa segunda trilogia chegaram em um ponto que foram extremamente arrastados e que eu não via a hora de chegar logo na última página.

Em comparação com os livros passados, Espectro é realmente bem melhor. Até hoje não se sabe o porquê de L.J ter sido afastada, mas acredito que tenha sido pela vontade da editora de manter livros curtos, com pouco menos de 300 páginas, enquanto a autora queria livros com mais de 400, como os de O Retorno. Acredito que vá muito da forma que a história é desenvolvida, mas TVD combina mais com a primeira fórmula. E aqui os acontecimentos são bem rápidos e nos deixam curiosos para descobrir o que acontecerá, principalmente em cenas de ação.

O novo autor ou autora, já que essa trilogia é creditada a um ghostwriter sem nome, se manteve fiel as características criadas por L.J. para os personagens, salvo alguns erros cronológicos sem grandes importâncias. Todos atingem pontos irritantes durante a leitura - o que é aceitável e explicado -, mas Elena extrapola os limites, ainda mais quando envolve Damon. Sempre gostei da garota, mas aqui é quase impossível. Stefan continua sendo um dos meus favoritos, assim como Meredith, que cresce ainda mais nesse novo começo. Bonnie consegue deixar de ser tão irritante quanto na trilogia anterior, o que foi ótimo, pois gosto muito dela. Damon tem cenas bem interessantes, e Matt, Sra. Flowers e Alaric também continuam necessários.

O único ponto que me incomodou foi o triângulo amoroso. É irônico ele ser um dos pontos principais dos livros mas ser o mais irritante por conta de sua condução, em especial nesse volume. L.J. pelo menos tinha um "cuidado" maior com os limites, algo que esse novo autor pouco se importou. E a tentativa de justificar certas atitudes de Elena só me fazem revirar os olhos. Também achei a revelação do vilão rápida e corrida, principalmente devido a como tudo se resolve, mas não é um problema realmente grave.

No geral, apesar de certos deslizes, Espectro foi um bom recomeço e darei uma chance aos próximos livros de Caçadores, principalmente por saber alguns acontecimentos do 2º e que me deixaram bem animado. Mas espero que os seguintes não acabem se transformando em algo forçado, como o caminho que esse seguiu com o triângulo.

terça-feira, 10 de setembro de 2019

[Resenha] A Traição de Natalie Hargrove - Lauren Kate

Autora: Lauren Kate
Editora: Galera Record
Páginas: 240
Classificação: 2.5/5 estrelas
Título Original: The Betrayal of Natalie Hargrove

Natalie mataria por uma chance de ser coroada a rainha do baile de Palmetto High. Mas Mike King, seu namorado, não parece tão empolgado para ser rei, e pode perder essa honra para o maior inimigo de Natalie, o irritante Justin Balmer.

Determinada a impedir que isso aconteça, ela tem uma ideia de um trote perfeito para colocar Justin em seu devido lugar, e convence Mike a ajudá-la. Aproveitando que Justin estava bêbado e vestido de mulher após uma festa à fantasia, eles o amarram inconsciente no presépio da igreja.

Tudo parece muito engraçado, até a manhã seguinte, quando percebem que Justin está morto. E a partir daí, eles se envolvem numa perigosa trama para esconder seu segredo.

Resenha:

A brincadeira não é tão engraçada quando viramos a vítima, não é?!

Além de Fallen ser uma das minhas sagas favoritas, a premissa de A Traição de Natalie Hargrove é instigante, seguindo uma fórmula que dificilmente falha - uma brincadeira que acaba dando errado e tornando-se um assassinato de verdade -, por isso estava bastante animado para lê-lo. Mas infelizmente Lauren Kate não soube desenvolver bem a história e bastante do potencial da mesma - que foi seu livro de estreia, aliás - foi perdido.

Já esperava personagens esteriotipados - a própria sinopse não esconde isso -, principalmente Natalie, e ela não é uma personagem ruim. Vi muita gente comentando de seu egoísmo, mas Lauren só seguiu a fórmula de qualquer suspense teen adolescente: personagens fazendo de tudo para livrar-se da acusação de assassinato. Mike é apenas ok e sem grandes momentos, assim como os demais personagens, todos descartáveis. Salva-se um rápido momento em que uma enfrenta Natalie, mas ele logo se esvai.

quarta-feira, 4 de setembro de 2019

[Resenha] Um Jogo de Amor e Sorte - Beth Reekles

Autora: Beth Reekles
Editora: Astral Cultural
Páginas: 320
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Rolling Dice

Depois de se mudar de uma pequena cidade no Maine para a Flórida, Madison Clarke aproveita a oportunidade para se reinventar, esquecer os dias de solidão e fazer parte da turma popular da escola, afinal, a nova Madison é descolada, espontânea e ousada.

Porém, dizem que quanto mais alto você sobe, maior é a queda – e Madison fará qualquer coisa para impedir que sua nova vida despenque ladeira abaixo. Quem sabe o que vem pela frente nesta nova vida na Flórida?

Resenha:

Ela só queria a chance de recomeçar, mas talvez consiga mais que isso.

A Barraca do Beijo foi um incontestável sucesso, mas apesar de ter assistido o filme, nunca li o livro que o originou. Mas fiquei curioso com Um Jogo de Amor e Sorte, nova obra da autora do mesmo, por isso o solicitei com a Astral.

Madison foi uma ótima protagonista. Mesmo com certos momentos irritantes - totalmente normais e aceitáveis diante a premissa da história -, é fácil torcer por ela, principalmente quem já passou pelo mesmo na adolescência e sempre quis a chance de mudar. Dwight também foi ótimo e a dupla que eles formaram envolve; assim como Bryce, que gera desconfiança de ser mesmo o que mostra, diante a possibilidade de sua personalidade ser outra. Infelizmente, os demais personagens - exceto os amigos de Dwight, tão legais quanto ele - são dispensáveis e esteriotipados ao extremo.

segunda-feira, 26 de agosto de 2019

[Resenha] O Jogo do Amor/Ódio - Sally Thorne

Autora: Sally Thorne
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 400
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: The Hating Game

Lucy Hutton e Joshua Templeman se odeiam. Não é desgostar. Não é tolerar. É odiar. E eles não têm nenhum problema em demonstrar esses sentimentos em uma série de manobras ritualísticas passivo-agressivas enquanto permanecem sentados um diante do outro, trabalhando como assistentes executivos de uma editora.

Lucy não consegue entender a abordagem apática, rígida e meticulosa que Joshua adota ao realizar seu trabalho. Ele, por sua vez, vive desorientado com as roupas coloridas de Lucy, suas excentricidades e seu jeitinho Poliana de levar a vida.

Diante da possibilidade de uma promoção, os dois travam uma guerra de egos e Lucy não recua quando o jogo final pode lhe custar o trabalho de seus sonhos. Enquanto isso, a tensão entre o casal segue fervendo, e agora a moça se dá conta de que talvez não sinta ódio por Joshua. E talvez ele também não sinta ódio por Lucy. Ou talvez esse seja só mais um jogo.

Resenha:

"'Cause baby, now we've got bad blood."

Até o anunciamento da adaptação de O Jogo do Amor/Ódio com Lucy Hale e Robbie Amell - dois atores que gosto muito - nos papéis principais, não tinha conhecimento do livro. Mas a notícia foi motivação suficiente para eu dar uma chance à história e, felizmente, não me arrependi.

Gostei de Lucy e de Josh logo nas primeiras páginas. As discussões e brigas dos dois são bem engraçadas, principalmente os mil jogos que eles criam entre si. E além de possuírem uma ótima química, os personagens têm objetivos e passados interessantes, que nos motivam a descobrir o porquê de agirem de tal forma, em especial o de Josh. A história foca demais nos dois, deixando os demais personagens em segundo plano, mas ainda assim Helene, chefe de Lucy, também foi uma boa adição para o livro e a amizade entre as duas é muito bonita.

segunda-feira, 19 de agosto de 2019

[Resenha] Herdeira do Fogo - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 518
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Heir of Fire

Celaena ressurge das cinzas ainda mais forte e letal. E parte em uma jornada em busca de uma obscura verdade: uma informação sobre sua herança e seus antepassados que pode mudar sua vida e o futuro de dois reinos para sempre.

Enquanto isso, forças sinistras começam a despontar no horizonte e têm planos malignos para dominar o seu mundo. Agora, depende de Celaena encontrar coragem para enfrentar tais perigos, além de seus próprios demônios, e fazer a escolha mais difícil da sua vida.

Nota: Esse é o terceiro livro da série, por isso a resenha pode conter spoilers dos volumes anteriores.

Resenha:

"Era a herdeira das cinzas e do fogo. E não se curvaria para  ninguém."

Ainda que a leitura de A Lâmina da Assassina tenha sido sofrível, não fiquei desmotivado para continuar Trono de Vidro e logo que terminei os contos, corri para esse terceiro livro, principalmente por conta do final de Coroa da Meia-Noite.

É impossível não ficar curioso sobre o destino de Celaena, por isso todas as suas cenas são envolventes. É nesse novo cenário que conhecemos alguns personagens, em especial Maeve e Rowan. Já foi perceptível o que Maeve representará na vida de Celaena - ainda mais após a segunda parte do livro -, assim como Rowan. Não tivemos nada realmente profundo entre Celaena e ele, então por enquanto continuo indiferente aos dois, mas adorei as sequências de treinamento.

quinta-feira, 15 de agosto de 2019

[Resenha] A Lâmina da Assassina - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: The Assassin's Blade

Conheça o caminho da assassina. Pavimentado com sangue, lágrimas e suor. Implacável, sedutora, letal. Poucos conhecem seu rosto, menos ainda sobrevivem à sua fúria. Não à toa Celaena Sardothian é sinônimo de morte.

Suas lâminas são certeiras, assim como seu estranho código de honra e seu aguçado senso de justiça. Mas como uma menina, encontrada agonizando pelo rei dos Assassinos de Adarlan, se tornaria a campeã do rei? Disputada pelo capitão da guarda real e o próprio príncipe herdeiro? No centro de intrigas políticas? 

Acompanhe Celaena vencer um lorde pirata e toda sua tripulação; o encontro como uma curandeira; seu treinamento com o Mestre Mudo, senhor dos assassinos silenciosos, nas dunas do deserto Vermelho; a prisão nas Minas de Sal de Endovier; ou, ainda, sua luta contra o mais escorregadio e traiçoeiro dos adversários — o próprio coração.

Resenha:

Toda lenda tem um começo.

Trono de Vidro é uma série que me surpreendeu muito, principalmente no 2º volume, Coroa da Meia-Noite, e seu final me deixou louco pelo próximo. Mas antes de iniciá-lo, é preciso passar por A Lâmina da Assassina, uma série de contos que nos prepara para os livros seguintes. Porém, não foi uma experiência totalmente positiva como os anteriores.

O livro possui cinco contos, mas de todos, só gostei realmente do segundo e do terceiro, A Assassina e a Curandeira e A Assassina e o Deserto. Foram contos que li rapidamente, tamanha a minha curiosidade para ver como terminariam, e me surpreenderam positivamente, principalmente o terceiro - o segundo é mais para introduzir Yrene, mas ainda assim foi interessante ver Celaena ajudando-a, em especial nos ensinamentos de autodefesa.

sábado, 10 de agosto de 2019

[Resenha] Esta e Todas as Vidas - Anne Marck

Autora: Anne Marck
Editora: Astral Cultural
Páginas: 288
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Esta e Todas as Vidas

Na charmosa São Tomé das Letras, em Minas Gerais, vive Antares Letícia, a jovem apaixonada pela vida no interior, pela beleza exuberante das grutas e cachoeiras pela qual a região é conhecida e, principalmente, pelas lendas e o misticismo que envolve a cidade.

Aos dezoito anos, em seu trabalho como guia turística, ela é contratada por um grupo vindo de São Paulo, e é então que conhece Bruno Romão, o homem bonito, fechado, capaz de provocar nela um perturbador sentimento de familiaridade.

Por alguma razão, Antares tem a impressão de que eles já se conhecem de algum lugar, e essa sensação se torna cada vez mais forte conforme eles se aproximam.

Resenha:

"Prometo a você aqui de cima que vamos enfrentar o que vier." - Walking the Wire, Imagine Dragons.

Romances dramáticos não são muito o meu estilo e é esse tipo de história que a sinopse de Esta e Todas as Vidas vende. Mas a lembrança que a mesma me causou sobre a série Fallen acabou me deixando curioso, o que foi motivo para eu solicitar o livro com a Astral. E acabou sendo uma ótima leitura.

Inicialmente, foi difícil me envolver com São Tomé das Letras e o regionalismo me incomodou, mas admito que a culpa é minha por ler poucas histórias que se passem no nosso país, e Anne Marck fez um ótimo trabalho. Após o estranhamento inicial, foi fácil me envolver com os habitantes da cidade e seus costumes. Os cenários são muito bem descritos e nos deixam com vontade de conhecê-los, ainda mais por realmente existirem, em Minas Gerais.

quinta-feira, 8 de agosto de 2019

[Resenha] Círculo Secreto - A Tentação | L.J. Smith / Aubrey Clark

Autora: L. J. Smith (escrito por Aubrey Clark)
Editora: Galera Record
Páginas: 256
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Secret Circle - The Temptation

Como líder do Círculo Secreto, Cassie foi constantemente confrontada com escolhas impossíveis e novos perigos. Mas, dessa vez, um movimento errado pode separar o Círculo para sempre.

Enquanto luta contra sua meia-irmã, Scarlett, Cassie enfrenta uma nova e terrível ameaça: os ancestrais que possuíram os corpos de seus amigos. A maldição de Black John foi liberada no Círculo, e cabe a ela corrigir as coisas.

Com seus inimigos rapidamente se aproximando, Cassie luta para manter seu coração verdadeiro e sua alma pura. Mas ela sabe melhor do que ninguém que toda magia vem a um preço, especialmente quando o Livro das Sombras de Black John está envolvido. Cassie conseguirá derrotar a escuridão de uma vez por todas ou o círculo estará perdido para sempre?

Resenha:

O que fazer quando tudo parece estar perdido?

Ao mesmo tempo que estava ansioso para ler A Tentação, estava triste afinal esse é o último volume de Círculo Secreto, uma série que gosto bastante e não queria me despedir dos personagens. Mas precisava fazer isso mais cedo ou mais tarde e ao finalizá-lo, não pude querer uma sensação melhor.

Cassie continuou sendo uma personagem forte, apesar dos problemas. Foi ótimo ver sua união com um personagem em prol de salvar o Círculo, o que foi benéfico também para ele - me fez perdoar suas atitudes nos volumes anteriores e entendê-lo melhor. E Faye, após estar um pouco em segundo plano no livro anterior, voltou a ter importância em determinado momento, o que foi essencial; precisávamos dela pelo menos uma última vez. Queria ter visto mais dos outros personagens, mas já aceitei Cassie-Adam-Faye-Nick-Diana como o centro principal e os demais como secundários, então nem foi uma decepção real.