domingo, 29 de novembro de 2020

[Resenha] A Improvável Annelise - Taty Azevedo

Autora: Taty Azevedo
Editora: Astral Cultural
Páginas: 271
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: A Improvável Annelise

Era uma vez pessoas de um planeta distante, poderes especiais, um sequestro, um Guardião e uma pedra. Essa realidade fantástica invade a vida da pacata Annelise no dia em que seus pais desaparecem.

Longe de casa e cercada de estranhos desconhecidos, ela se descobre descendente do povo de Antera e deve aprender a confiar em seus instintos para salvar a família. Uma aventura cheia de sentimentos e surpresas.

Resenha:

"Annelise sabia bem quem era. Até aquele dia."

Há muito tempo queria conhecer essa história, então fiquei bastante animado quando A Improvável Annelise chegou aqui.

Gostei muito dos personagens, em especial Annelise e Oliver. Os dois têm uma relação de amor e ódio e "romance proibido" - mais por parte dele, verdade seja dita - que dificilmente falha, além de como personagens individuais serem bem interessantes. Os demais, apesar de não serem o foco, também têm seus momentos e há até uma grata representatividade LGBT que eu não esperava.

terça-feira, 17 de novembro de 2020

[Resenha] Corrente de Ouro - Cassandra Clare

Autora:
Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 598
Classificação: 4,5/5 estrelas
Título Original: Chain of Gold

Por anos a paz reinou no mundo dos Caçadores de Sombras. James e Lucie Herondale, filhos dos famosos Will e Tessa, cresceram e desenvolveram-se em um ambiente harmônico com sua família e amigos, ouvindo histórias sobre o bem derrotando o mal e o amor como o grande vencedor... Mas tudo muda quando as famílias Blackthorn e Carstairs vêm para Londres, assim como uma espécie de praga nunca vista antes, implacável e inevitável.

Cordelia Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma guerreira treinada desde a infância para enfrentar demônios. Quando seu pai foi acusado de um terrível crime, ela e seu irmão viajam a Londres na esperança de evitar a ruína de sua família. Sua mãe, Sona Carstairs, quer que a filha se case... mas Cordelia está mais determinada a ser uma heroína do que uma esposa. Logo, Cordelia encontra James e Lucie Herondale, seus amigos de infância, e é levada a seu universo de bailes reluzentes, tarefas secretas e salões sobrenaturais, onde vampiros e bruxos se misturam a sereias e feiticeiros.

Enquanto isso, ela precisa esconder sua paixão secreta por James, que jurou se casar com outra pessoa. Quando o desastre atinge, depois de tanto tempo, os Caçadores de Sombras, James, Cordelia e seus amigos mergulham em uma aventura descontrolada que os revelará sombrios e incríveis poderes, o verdadeiro e cruel preço de ser um herói... e de se apaixonar.

Nota: A resenha pode conter spoilers da trilogia anterior cronologicamente, As Peças Infernais. E para mais conteúdos exclusivos, siga o Instagram do blog.

Resenha:

"Qualquer um que olhe para vocês e veja escuridão, é cego."

As Últimas Horas, mais nova trilogia de Cassandra Clare, vêm para continuar cronologicamente as histórias dos personagens de As Peças Infernais, com seus descendentes. E o início não poderia ter sido melhor!

Os personagens foram incríveis. Cordelia foi ótima, assim como James e Lucie, e torci muito por eles e os demais integrantes dos Ladrões Alegres, porque cada um tem conflitos interessantes, em especial os irmãos. James sofre toda a pressão pela parte demônio herdada da mãe, mas Lucie também tem suas particularidades. Foram os seis amigos, outros personagens também foram positivos e quero ver mais deles, principalmente Jesse. E, claro, foi perfeito rever e matar a saudades de Will, Tessa e Jem nessa época passada.

quinta-feira, 12 de novembro de 2020

[Resenha] Fantasmas do Mercado das Sombras - Cassandra Clare

Autoras:
Cassandra Clare, Maureen Johnson, Robin Wasserman, Sarah Rees Brennan e Kelly Link
Editora: Galera Record
Páginas: 476
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Ghosts of the Shadow Market

Ponto de encontro de fadas, lobisomens, feiticeiros e vampiros, o Mercado das Sombras é onde os seres do Submundo compram e vendem objetos mágicos, fazem barganhas sombrias e sussurram segredos que eles não querem que o Nephilim saibam.

Por dois séculos, o Mercado vem recebendo um visitante frequente vindo da Cidade dos Ossos – o coração dos Caçadores de Sombras. Como um Irmão do Silêncio, o Irmão Zachariah é jurado detentor das leis e sabedoria dos Nephilim. Mas, uma vez ele foi um Caçador de Sombras chamado Jem Carstairs, e seu amor, antes e para sempre, é a feiticeira Tessa Gray.

Acompanhe o Irmão Zachariah e veja, no contexto das negociações sombrias do Mercado das Sombras e suas celebrações festivas, o primeiro romance de Anna Lightwood, o grande pecado de Matthew Fairchild e Tessa Gray se envolver em uma guerra mundial. Valentim Morgenstern compra uma alma no Mercado e a alma de um jovem Jace Wayland encontra um porto seguro. No mercado está escondido um herdeiro perdido e um fantasma amado, e ninguém pode te salvar depois que negociarem seu coração. Nem mesmo o Irmão Zachariah.

PS: Para esse e mais conteúdos exclusivos, siga o Instagram do blog.

Resenha:

Quantos segredos o Mercado das Sombras pode guardar?

Um dos objetivos de Fantasmas do Mercado das Sombras foi introduzir alguns personagens de As Últimas Horas. E os contos fizeram isso perfeitamente. Foi muito bom conhecer o passado de Matthew e Anna, e isso nos faz entendê-los melhor durante Corrente de Ouro - por isso é recomendado ler esses contos antes. Os dos dois foram uns dos meus favoritos.

Mas Cassandra também cede espaço aos personagens antigos, como Jem e Alec. Confesso que dois contos de Jem em busca de respostas do passado não me envolveram tanto (apesar do bonito final em um), mas o de Alec foi excepcional. Me emocionei e passei a admirar ainda mais Alec, sem dúvidas um dos personagens que mais cresceu desde Cidade dos Ossos. Seu conto é o maior, mas ainda assim o que pareceu acabar mais rápido, de tão viciante que foi.

sábado, 31 de outubro de 2020

[Resenha] Archie: Mundo dos Mortos - Volume 1 | Roberto Aguirre-Sacarra & Francesco Francavilla

Autores:
Roberto Aguirre-Sacarra & Francesco Francavilla
Editora: Geektopia
Páginas: 160
Classificação: 4,5/5 estrelas
Título Original: Afterlife with Archie #1

Um fatídico acidente é o estopim de uma série de eventos aterrorizantes que trarão o próprio inferno a Riverdale!

Quando hordas de zumbis começam a atacar, desejando carne humana, Archie, Betty, Veronica e toda a turma terão que lutar por suas vidas contra os horripilantes mortos vivos, que são liderados por ninguém menos que Jughead.

Resenha:

É assim que o fim do mundo começa...

O "Archie Horror" - um universo alternativo da Archie Comics com Archie e os demais personagens, mas totalmente voltado para tramas sobrenaturais - tem muitas histórias divertidas, por isso estava muito curioso por Mundo dos Mortos, principalmente depois de ler as primeiras edições da ótima Vampironica.

E Fuga de Riverdale foi uma grata surpresa. Primeiramente, vale lembrar que o Archie Horror não tem ligação com os eventos canônicos das HQs "originais" de Archie, então não é obrigatório lê-las para vir para cá. Agora sobre essa série, ela é bem mais sombria do que eu esperava, pois a já citada Vampironica tinha certos toques de humor.

terça-feira, 27 de outubro de 2020

[Resenha] Nós - Elle Kennedy & Sarina Bowen

Autoras:
Elle Kennedy & Sarina Bowen
Editora: Paralela
Páginas: 240
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: Us

Ryan Wesley e James Canning se conheceram num acampamento de hóquei quando crianças. A amizade entre os dois cresceu pouco a pouco até que um acontecimento inesperado os afastou. Quando eles se reencontram na faculdade, ambos já adultos, se apaixonam e iniciam uma nova relação, agora de amor.

Por motivos profissionais, Wes não quer que seu relacionamento se torne público, mas um de seus colegas de time se muda para o mesmo prédio onde ele está morando com Jamie, e a vida secreta que os dois construíram cuidadosamente corre o risco de ruir.

Com o mundo externo pronto para testá-los, Jamie e Wes precisam descobrir do que são capazes em nome do amor que têm um pelo outro.

Nota: Esse é o segundo livro da duologia, portanto pode haver spoilers do primeiro.

Resenha:

Será que eles ainda jogam no mesmo time?

Ele foi uma ótima leitura no início do ano, por isso estava curioso para ler a continuação, Nós. E foi uma continuação melhor do que eu esperava.

A relação de Wes e Jamie, que já era interessante, fluiu muito melhor aqui, porque as autoras eliminaram os pontos que me incomodaram antes, como o fato dos dois se tratarem excessivamente por "cara". São raros esses momentos e por isso, quando utilizados, soam orgânicos na narrativa, como deveria ter sido desde o início.

sábado, 17 de outubro de 2020

[Resenha] O Código da Febre - James Dashner

Autor: James Dashner
Editora: Plataforma 21
Páginas: 370
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Maze Runner - The Fever Code

Era uma vez o fim do mundo. Florestas foram queimadas, lagos e rios secaram, oceanos transbordaram.Uma peste febril se espalhou pela Terra, dizimando famílias inteiras. Homem matou homem. A violência reinou. Não havia mais lugares seguros.

Então, surgiu o CRUEL. Pesquisa após pesquisa, essa organização não mediu esforços para encontrar respostas... para encontrar a cura. O CRUEL fez testes em crianças. Algumas delas, além de imunes, eram especiais... como Thomas e Teresa.

Juntos eles foram designados a trabalhar em um experimento: o Labirinto. Mas, ao que parece, nem tudo foi dito. Segredos e mentiras irão perturbar Thomas. Quais relações de lealdade são realmente verdadeiras? 

Resenha:

Purgação. Mistério. Destruição. Mentiras.

Maze Runner foi uma ótima saga de se acompanhar. Por mais que eu tenha meus problemas com o terceiro livro e a conclusão dele, adoro o universo e personagens. Por isso, sempre quis ler esse livro e reencontrá-los, já que o anterior, Ordem de Extermínio, acompanhava outros fora do grupo original.

E Código da Febre foi ótimo! Seu principal trunfo é conseguir nos prender e envolver, mesmo já sabendo como tudo acabou - ele se passa cronologicamente antes de Correr ou Morrer. O CRUEL é uma das melhores coisas da trilogia, então esse livro se passar totalmente "dentro" da organização nos dá diversas visões e informações de seus propósitos, que se complementam com as que já cedidas anteriormente, além de responder a principal dúvida de Ordem de Extermínio. Comparado com os demais livros, esse é mais calmo no quesito de ação (os outros eram frenéticos), mas ainda há ótimas cenas assim, principalmente uma envolvendo Thomas.

quinta-feira, 15 de outubro de 2020

[Resenha] Reino de Cinzas - Sarah J. Maas

Autora:
Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 938
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Kingdom of Ash

Trancada em um caixão de ferro, Aelin luta para permanecer forte e resistir às torturas de Maeve, pois sabe que a sobrevivência de seu povo depende disso. Mas a cada dia que passa, parece mais difícil manter a determinação.

Em Terrasen, Aedion, Lysandra e seus aliados se esforçam para conter a ameaça iminente, porém a força dessa aliança pode não ser o suficiente para barrar as hordas de Erawan e proteger Terrasen da destruição total. Enquanto isso, do outro lado do oceano, Rowan não irá desistir de encontrar seu amor, sua parceira, sua rainha.

À medida que os fios do destino se entrelaçam no explosivo final da série Trono de Vidro, todos devem lutar se quiserem uma chance de sobreviver.

Nota: A resenha pode conter spoilers dos livros anteriores.

Resenha:

Uma princesa que deveria viver por mil anos. Deveria ser uma dávida. Mas agora é sua maldição.

E depois de pouco mais de dois anos - li o primeiro livro da série em Fevereiro de 2018 -, finalmente cheguei ao final de Trono de Vidro. Já disse em diversas resenhas que adoro os personagens e a mitologia da série, então mesmo querendo ver como tudo se finalizaria, também não queria me despedir. Mas era preciso, certo?

Os personagens continuam ótimos. Começando pelas mulheres, que sempre foram as melhores desenvolvidas na saga, todas têm o seu momento de brilhar e isso é semrpe ótimo. Gosto de todas - menos Nesryn, que sou bem indeferente, confesso -, então é até impossível escolher minha favorita aqui. Vou sentir falta de todas, em especial Aelin (mesmo eu gostando mais dela na época da Celaena), Yrene e Elide.

quinta-feira, 1 de outubro de 2020

[Resenha] Ordem de Extermínio - James Dashner

Autor: James Dashner
Editora: Plataforma 21
Páginas: 381
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Maze Runner - The Kill Order

Antes de o CRUEL existir, antes que houvesse o Labirinto e muito antes que Thomas ingressasse na Clareira, as chamas solares assolaram a Terra e destruíram o mundo que a humanidade considerava salvo... Mark e Trina estavam lá quando tudo aconteceu, e sobreviveram. Mas sobreviver às chamas foi fácil se comparado ao que viria depois.

Agora, um vírus que toma conta da mente com violência e dor se espalha por todo lugar e existe algo muito suspeito sobre sua origem. Pior ainda: ele está em mutação e as evidências sugerem que a humanidade se ajoelhará diante do caos, prevendo uma morte inevitável e assustadora.

Mark e Trina estão convencidos de que existe uma maneira de salvar os poucos que restaram. E estão certos de que podem encontrá-los. Porque neste novo e devastado mundo, cada vida tem um preço. A sua também. E para alguns, você vale muito mais morto do que vivo.

Resenha:

Epidemia. Extinção. Contágio. Devastação.

Maze Runner é uma distopia que curto bastante, mesmo após os problemas de A Cura Mortal, o terceiro livro da trilogia inicial. Por isso, sempre quis ler os dois volumes seguintes, que são, na verdade, se passam antes do primeiro. E começando por Ordem de Extermínio, foi uma leitura interessante.

Confesso que foi díficil me conectar com os personagens no início. Mas por volta do capítulo três, já estava preso e interessado em descobrir o que aconteceria. Mark me lembrou Thomas em alguns momentos e gostei muito da amizade dele com Alec, sem dúvidas a melhor coisa do livro. Infelizmente, Trina e Lana não tiveram tanto espaço, mas ainda assim gostei delas.

A narrativa de James Dashner continua ótima. Sua sacada de escrever capítulos curtos - muitos tem duas folhas, no máximo - torna a leitura bem dinâmica. O livro é frenético, tanto que até me deixou confuso em alguns momentos, e o nível de crueldade nos ataques e efeitos da epidemia também estão maior. Ironicamente, o li em plena pandemia, então diversas passagens me pegaram, em especial as da doença e uma que disse que a pior Guerra estourou em 2020 (!). São coincidências bem engraçadas e loucas.

segunda-feira, 28 de setembro de 2020

[Resenha] Redoma - Meg Wolitzer

Autora: Meg Wolitzer
Editora: Globo Alt
Páginas: 287
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Belzhar

Após a morte de seu primeiro namorado e amor, Reeve Maxfield, Jam Gallahue é obrigada pelos pais a ir para uma nova e especial escola. A mudança parece a única possibilidade de recuperação para a garota, que passou quase um ano mergulhada em tristeza. No entanto, ela odeia a nova rotina e decide levar tudo com o menor esforço possível.

Por isso, Jam fica bastante surpresa quando descobre que foi selecionada para a exclusiva e lendária aula de “Tópicos Especiais em Inglês”, da misteriosa Sra. Quenell, que anualmente tem pouquíssimas alunos, todos escolhidos pela própria professora, que trabalha um único autor durante o ano.

Junto com A redoma de vidro, de Sylvia Plath, o livro que estudarão durante o semestre, a turma tem a tarefa de escrever em um diário entregue pela professora. E é esse trabalho que leva Jam e seus colegas à Redoma, um lugar misterioso onde o passado pode ser revivido, e cada um dos alunos pode rever sua vida antes do momento traumático que levou ao internato.

Resenha:

E se você tivesse a chance de voltar para um passado que sente falta todo dia?

Lembro que descobri Redoma há bons anos, em um vídeo da Pam Gonçalves, e a sinopse me interessou, mas acabei deixando-o de lado após consegui-lo. Até que o peguei há uns dias e pensei "por que não?".

Gostei muito dos personagens. Diante do que passou com o ex, Jam começa perdida mas aos poucos nos conquista, assim como os demais alunos: Griffin, Sierra, Casey e Marc. A amizade que eles desenvolvem durante o livro é muito bonita e as histórias que os levarão ao Celeiro são uma mais triste que a outra, o que nos faz simpatizar com eles.

sexta-feira, 25 de setembro de 2020

[Resenha] A Mediadora - Crepúsculo | Meg Cabot

Autora: Meg Cabot
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: The Mediator - Twilight

Suzannah já se acostumou com os fantasmas em sua vida e é muito aterrorizante ter o destino dos fantasmas em mãos, podendo alterar o curso da história.

E tudo ficou pior depois que ela descobriu que Paul também sabe como fazer isso. E ele adoraria evitar o assassinato de Jesse, impedindo-o de virar fantasma e lhe garantindo uma vida tranqüila, finalmente...

Isso significaria que Jesse e Suzannah jamais se conheceriam. A mediadora está diante da decisão mais importante da sua vida: deixar o único cara que já amou voltar para seu próprio tempo, impedindo assim sua morte... ou ser egoísta e mantê-lo a seu lado como um fantasma. O que Jesse escolheria: viver sem Suzannah ou morrer para amá-la?

Resenha:

Desta vez é vida ou morte.

A Mediadora foi uma série que me envolveu do início ao fim, por isso estava ansioso para Crepúsculo e ver como ela terminaria – ao mesmo tempo que já sentia saudades antecipadas.

E Meg Cabot conseguiu dar um final perfeito e de tirar o fôlego para a história. Os anteriores sempre tiveram bons momentos, mas nenhum me deixou tão ansioso quanto o das páginas finais envolvendo Jesse. Toda a saga de Suze em busca de uma forma de salvá-lo é envolvente e nos faz torcer mais ainda pelos dois – se é que é possível. Ela continua uma ótima personagem, assim como Jesse, mas isso não é surpresa, afinal eles são desde o primeiro livro.