segunda-feira, 14 de maio de 2018

[Resenha] Paixão Irresistível - Christina Lauren

Autora: Christina Lauren
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 107
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Beautiful Bombshell
Compre: Amazon Brasil

Quando os amigos de Bennett finalmente o arrastam para sua despedida de solteiro, sua primeira parada não acontece exatamente como esperado. Seus planos para um fim de semana apenas com os caras desmoronam completamente quando Bennett e Max fazem de tudo para se encontrarem secretamente com as mulheres que amam.

Mas quando o solteirão Will Sumner começa a desconfiar, os dois percebem que terão que unir forças se quiserem mais algumas escapadinhas sexys em Las Vegas. Chloe Mills e Bennett Ryan estão de volta para uma última aventura antes do casamento – mas talvez eles não queiram nunca mais ir embora!

Resenha:

O que acontece em Las Vegas... fica em Las Vegas.

Apesar de New Adults não fazerem meu gênero, gostei da relação de Chloe e Bennett em Cretino Irresistível, o que me motivou a ler as continuações dos dois, mas fazia anos que tinha os livros e não os pegava, pois Cretina Irresistível foi uma continuação bem mediana. Porém, felizmente, Paixão Irresístivel conseguiu ser bem melhor.

Chloe e Bennett continuam ótimos, sempre com os próprios orgulhos, o que sempre causa brigas engraçadas. E como sempre acontecem confusões em despedidas de solteiro, na de Bennett não podia ser diferente. A amizade entre ele, Max, Henry e Will rende muitos momentos engraçados, principalmente um específico envolvendo Bennett e Max, que tem uma resolução imaginável. Mas ainda temos momentos entre ele e Chloe, que são hilários, como o primeiro encontro dos dois em Vegas.


O único ponto negativo é que além de Bennett e Chloe, o livro ainda dá destaque para o relacionamento de Max e Sara, intercalando capítulos entre Bennett e ele. Como não li o livro solo do casal - Estranho Irresístivel - e nem tenho interesse, algumas referências passam batidas, mesmo que certas situações tenham os contextos explicados.

No geral, gostei muito desse volume. Li em poucas horas, por ser mais um conto do que um livro especificamente, e fiquei animado para ler o último que acompanha Bennett e Chloe, Noiva Irresístivel, que assim como esse, é curtinho; então será uma leitura bem rápida. Espero que seja tão bom quanto!

quinta-feira, 10 de maio de 2018

[Resenha] O Doador de Memórias - Lois Lowry

Autora: Lois Lowry
Editora: Arqueiro
Páginas: 192
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Giver
Compre: Amazon Brasil

Em O Doador de Memórias, Lois Lowry constrói um mundo aparentemente ideal onde não existem dor, desigualdade, guerra nem qualquer tipo de conflito. Por outro lado, também não há amor, desejo ou alegria genuína.

Os habitantes de uma pequena comunidade, satisfeitos com a vida ordenada, pacata e estável que levam, conhecem apenas o presente o passado e todas as lembranças do antigo mundo lhes foram apagados da mente. 

Um único indivíduo é encarregado de ser o guardião dessas memórias, com o objetivo de proteger o povo do sofrimento e, ao mesmo tempo, ter a sabedoria necessária para orientar os dirigentes da sociedade em momentos difíceis. 

Aos 12 anos, idade em que toda criança é designada à profissão que irá seguir, Jonas recebe a honra de se tornar o próximo guardião. Ele é avisado de que precisará passar por um treinamento difícil, que exigirá coragem, disciplina e muita força, mas não faz ideia de que seu mundo nunca mais será o mesmo. Orientado pelo velho Doador, Jonas descobre pouco a pouco o universo extraordinário que lhe fora roubado. Como uma névoa que vai se dissipando, a terrível realidade por trás daquela utopia começa a se revelar.

Resenha:

Quando não há memórias, a liberdade é apenas uma ilusão.

Sempre tive bastante curiosidade sobre O Doador de Memórias, pois além de ser uma distopia, a adaptação é protagonizada por Brenton Thwaites, um ator que gosto bastante; porém, demorei bastante para lê-lo e ver o filme (lançado em 2014), pois só queria conferi-lo após a leitura. E felizmente, gostei bastante!

Os personagens são bem construídos, principalmente Jonas e Doador, os principais. A relação que os dois criam é muito bonita e nos importamos e torcemos por ambos, assim como Gabriel. Jonas consegue segurar bem a história e sentimos tudo o que ele sente, seja medo, apreensão, revolta, enfim. Os outros personagens também são importantes, pois é por meio deles que sentimos o quão a população é fria devido o controlamento que sofre das autoridades, sem saber. Há ainda uma bela reviravolta envolvendo o passado de Rosemary, que me surpreendeu bastante, pois não cogitei a possibilidade.

domingo, 6 de maio de 2018

[Resenha] A Guardiã de Histórias - Victoria Schwab

Autora: Victoria Schwab
Editora: Bertrand Brasil
Páginas: 322
Classificação: 2.5/5 estrelas
Título Original: The Archived
Compre: Amazon Brasil

Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras. Cada corpo tem uma história para contar, uma vida disposta em imagens que apenas os Bibliotecários podem ler. Aqui, os mortos são chamados de Histórias, e o vasto domínio em que eles descansam é o Arquivo.

Mackenzie Bishop é uma implacável Guardiã, cuja tarefa é impedir Histórias geralmente violentas de acordar e fugir do Arquivo. Naqueles domínios, os mortos jamais devem ser perturbados, mas alguém parece estar, deliberadamente, alterando Histórias e apagando seus trechos essenciais. A menos que Mac consiga juntar as peças restantes, o próprio Arquivo sofrerá as consequências.

Resenha:

Imagine um lugar onde, como livros, os mortos repousam em prateleiras...

Sempre tive curiosidade sobre a escrita de Victoria Schwab, pois ouço bastante elogios. Infelizmente, minha primeira experiência com ela foi decepcionante.

A Guardiã de Histórias até possui uma boa e instigante premissa quando lemos a sinopse, mas sua execução não empolga. Além de ser confuso no início - o que é aceitável, afinal é uma mitologia própria -, as Histórias em si não nos cativam e seus resgates são rápidos e sem emoção. Os pontos positivos são o verdadeiro vilão do livro, totalmente inesperado, mas que mostra todo seu poder de manipulação quando a verdade vem à tona; e o hotel onde se passa a história, mesmo que ele não tenha sido bem aproveitado, pois poderia render bem mais.

quinta-feira, 19 de abril de 2018

[Resenha] Coroa da Meia-Noite - Sarah J. Maas

Autora: Sarah J. Maas
Editora: Galera Record
Páginas: 406
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Crown of Midnight
Compre: 
Amazon Brasil

Celaena Sardothien, a melhor assassina de Adarlan, tornou-se a assassina real depois de vencer a competição do rei e se livrar da escravidão das Minas de Sal de Endovier. Mas sua lealdade nunca esteve com a coroa. Tudo o que deseja é ser livre — e fazer justiça.

Nos arredores do castelo, surgem rumores a respeito de uma conspiração contra misteriosos planos do rei, mas antes de cuidar dos traidores, Celaena quer descobrir exatamente que planos são esses. O que ela não imaginava é que acabaria em meio a uma perigosa trama de segredos e traições tecida ao redor da coroa. Enquanto a amizade entre ela e o capitão Westfall cresce cada vez mais, o príncipe Dorian se afasta, imerso em seus próprios dilemas e descobertas.

A princesa Nehemia acaba se tornando uma conselheira e confidente, mas sua atenção está mais voltada para outros assuntos. Em Adarlan, um segredo parece se esconder por trás de cada porta trancada, e Celaena está determinada a desvendar todos eles para proteger aqueles que aprendeu a amar. Mas o tempo é curto, e as ameaças ao redor castelo de vidro estão cada vez mais próximas. Quando menos se espera, uma trágica noite mudará a vida de todos no reino, e mais do que nunca Celaena quer descobrir a verdade para fazer justiça.

Nota: Esse é o segundo livro da série e a resenha pode conter spoilers do livro anterior.

Resenha:

Antes ela era mortal. Agora, é implacável.


Gostei bastante de Trono de Vidro, então estava ansioso para continuar a série e ver o que o futuro reservaria para a mitologia da série e os personagens.

E começando por eles, todos continuam muito bem construídos! Não é segredo que Dorian é o meu favorito, então fiquei muito feliz com o plot próprio que ele ganhou; é o mais interessante desse volume e com certeza renderá nos próximos. Celaena também têm muito desenvolvimento e vemos bem mais da tão temida Assassina de Eldovier, já que no anterior, ela esteve mais contida e romântica, quase não fazendo jus ao título. Já Chaol ganhou novas camadas e descobrimos mais sobre seu passado, o que também foi positivo, pois até então as informações sobre ele eram quase escassas.

terça-feira, 17 de abril de 2018

[Resenha] Aura Negra - Richelle Mead

Autora: Richelle Mead
Editora: Nova Fronteira
Páginas: 304
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Frostbite
Compre: Amazon Brasil

A Escola São Vladimir está em alerta após um ataque dos sanguinários Strigoi. Os Guardiões admirados por suas habilidades e seus grandes feitos, se preparam para entrar em ação.

A escola envia seus alunos para um hotel de luxo e bem protegido, porém um imprevisto obriga Rose a deixar a segurança de seu lar e impedir que o pior aconteça. Apenas quando a vida de seus amigos está por um fio é que a heroína descobrirá força dentro de si.


Nota: Esse é o segundo livro da série e a resenha pode conter spoilers do livro anterior.

Resenha:

Dampirinha...

Gostei bastante de O Beijo das Sombras, por isso queria ler Aura Negra o mais rápido possível. E felizmente, ele conseguiu ser tão bom quanto o anterior. Welcome to St. Vladimir!

Os personagens continuam ótimos. Amo a Rose e sua maturidade, apesar de sua impulsividade, que ainda a prejudica muito. Mas basta comparar os dois primeiros livros: enquanto no anterior, ela era mais sarcástica e irônica, aqui a vemos mais contida nesse ponto, por conta do perigo que todos enfrentam com os Strigoi. Além disso, seu lado emocional também é trabalhado com o retorno de sua mãe; e entendo completamente sua mágoa para com ela. Ponto.

Dimitri continua ótimo e a química entre ele e Rose é incrível, nos fazendo torcer por eles em apenas uma troca de "Oi". Outro ponto positivo foi o maior destaque para os Ozera, pois a história dos pais de Christian é intrigante. Lissa, por outro lado, ficou de lado nesse volume, mas esse seu "esquecimento" serviu para realmente nos passar a sensação de o quanto ela e Rose estavam distantes. Temos ainda um maior destaque sobre Mason, que é um personagem regular - não irrita, mas também não é inesquecível. E por fim, mas não menos importante, temos Adrian, um novo personagem e que gostei bastante. Acredito que ele renderá bastante nos próximos volumes.

domingo, 15 de abril de 2018

[Resenha] Espada de Vidro - Victoria Aveyard

Autora: Victoria Aveyard
Editora: Seguinte
Páginas: 496
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Glass Sword
Compre: Amazon Brasil

O sangue de Mare Barrow é vermelho, da mesma cor da população comum, mas sua habilidade de controlar a eletricidade a torna tão poderosa quanto os membros da elite de sangue prateado. Depois que essa revelação foi feita em rede nacional, Mare se transformou numa arma perigosa que a corte real quer esconder e controlar.

Quando finalmente consegue escapar do palácio e do príncipe Maven, Mare descobre algo surpreendente: ela não era a única vermelha com poderes. Agora, enquanto foge do vingativo Maven, a garota elétrica tenta encontrar e recrutar outros sanguenovos como ela, para formar um exército contra a nobreza opressora. Essa é uma jornada perigosa, e Mare precisará tomar cuidado para não se tornar exatamente o tipo de monstro que ela está tentando deter.


Nota: Esse é o segundo livro da série A Rainha Vermelha e a resenha pode conter spoilers do volume anterior.

Resenha:

Um novo sangue com poderes inimagináveis. A rebelião não será mais a  mesma.

A Rainha Vermelha foi uma grata surpresa e gostei bastante do mundo e personagens criados, por isso, quis ler as continuações o mais rápido possível, principalmente porque muitos diziam que a história crescia mais nesse segundo livro.

Começando pelos personagens, Mare me irritou muito nessa continuação - mais do que no anterior, onde foram poucos momentos. Seu egoísmo diante algumas situações e o modo que tratou os amigos me irritava a cada página, apesar de ela ser uma boa protagonista. Cal cresceu bastante - no primeiro, Maven foi bem mais explorado do que ele -, e seus momentos tentando fazer Mare mudar seu jeito egoísta foram muito bons. Os momentos onde ele e Mare sofrem pela traição que receberam de Maven são interessantes para a construção dos dois. Também foi positivo ver mais de Shade e Farley, que também são ótimos. E Maven, apesar de não estar tão presente, nos mostra o quanto é cruel e não poupará esforços para conseguir seus objetivos.

domingo, 1 de abril de 2018

[Resenha] Círculo Secreto - A Ruptura | L.J. Smith & Aubrey Clark

Autora: L. J. Smith (escrito por Aubrey Clark)
Editora: Galera Record
Páginas: 256
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: Secret Circle - The Divide
Compre: Amazon Brasil

Após a morte de Black John, Cassie e o restante do Círculo finalmente podem relaxar. Tudo parece ir bem: as Chaves estão em seu poder, Adam e Cassie são oficialmente namorados e o clima da cidade em geral é de recomeço.

Mas, enquanto todos comemoram o festival do equinócio de primavera, algo terrível acontece: sem nenhum motivo aparente, tia-avó Constance cai morta. E não parece ser uma morte normal. Agora, resta ao Círculo descobrir o que está colocando em risco a todos.

Resenha:

Onde está sua lealdade?

Após concluir a trilogia inicial de Círculo Secreto - A IniciaçãoA Prisioneira e O Poder - fiquei curioso mas receoso ao mesmo tempo, pois esses três novos livros não foram escritos por L.J. Smith, então os personagens e a história poderiam acabar seriamente modificados. Mas ainda assim decidi dar uma chance ao esse "recomeço" e felizmente não me arrependi!

Claro que é triste L.J. não poder continuar suas próprias séries - essa e Diários do Vampiro -, mas Aubrey Clark fez um excelente trabalho, mantendo o tom da história e personagens fiéis ao que L.J. já havia criado - além de trazer de volta dois membros peculiares que vimos no primeiro livro. Digo até que ela conseguiu dar mais "atitude" à eles: se antes, apenas Faye era a inconsequente e todos eram "calmos", nesse volume vemos que todos estão mais ativos a seguirem a própria vontade, o que os colocará em muitos atritos, afinal são doze pessoas bem diferentes.

sexta-feira, 30 de março de 2018

[Resenha] Crave a Marca - Veronica Roth

Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Páginas: 480
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Carve The Mark
Compre: Amazon Brasil

Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva.

Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Resenha:

Não há lugar para honra na sobrevivência.

Apesar dos problemas que apresenta, Divergente ainda é uma trilogia que eu gosto bastante; por isso, fiquei animado quando Veronica Roth anunciou que lançaria uma nova duologia. Infelizmente, a leitura de Crave a Marca não foi cento por cento positiva ou ótima como eu esperava.

Os personagens são o ponto positivo do livro, sem dúvidas. É fácil simpatizar e se ver torcendo por Akos e Cyra. Diferente de Tris, que era mais impulsiva, Cyra pensa bastante antes de agir, principalmente por seu maior "inimigo" ser seu irmão e todo o passado de culpa que a mesma carrega. É Akos que assume esse papel impulsivo, para proteger a família, e todo o drama que ele passa com o próprio irmão também é tocante. E Ryzek também foi um ótimo vilão, do tipo que queremos morto o mais rápido possível. Os demais personagens só aparecem após as primeiras partes da história, mas também acrescentam para a história, principalmente Isae.

quarta-feira, 28 de março de 2018

[Resenha] Garoto Encontra Garoto - David Levithan

Autor: David Levithan
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Boy meets Boy
Compre: Amazon Brasil

Paul estuda em uma escola nada convencional. A rainha do baile é uma quarterback drag queen, líderes de torcida andam de moto e a aliança entre gays e héteros ajudou os garotos héteros a aprenderem a dançar. Paul conhece Noah, o cara dos seus sonhos, mas estraga tudo de forma espetacular. 

E agora precisa vencer alguns desafios antes de reconquistá-lo: ajudar seu melhor amigo a lidar com os pais ultrareligiosos que desaprovam sua orientação sexual, lidar com o fato de a sua melhor amiga estar namorando o maior babaca da escola e, enfim, acreditar no amor o bastante para recuperar Noah.

Resenha:

“As vezes a distância entre saber o que fazer e realmente fazer é uma caminhada bem curta”

David Levithan é um autor que tenho boas experiências. Dos que li, gostei muito de Naomi & Ely e a Lista do Não-BeijoTodo Dia e Dois Garotos Se Beijando, sendo apenas Will & Will que me decepcionou; por isso, queria muito ler seus outros livros. Decidi, então, pegar Garoto Encontra Garoto por ser um livro curto, que era o que eu procurava no momento. Infelizmente, não foi uma boa experiência.

O maior de Garoto Encontra Garoto é que, como Will & Will, ele parece desnecessário após a conclusão da leitura, como se não acrescentasse em nada. O enredo é clichê - o que não é um problema, ainda mais nesse tipo de história - e superficial, com uma problemática que seria resolvida em uma conversa com os envolvidos e não com esse "grau de dificuldade" que David quis passar.

segunda-feira, 26 de março de 2018

[Resenha] Simon vs. a agenda Homo Sapiens - Becky Albertalli

Autora: Becky Albertalli
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Simon vs. the Homo Sapiens Agenda
Compre: Amazon Brasil

Simon tem dezesseis anos e é gay, mas ninguém sabe. Sair ou não do armário é um drama que ele prefere deixar para depois.

Tudo muda quando Martin, o bobão da escola, descobre uma troca de e-mails entre Simon e um garoto misterioso que se identifica como Blue e que a cada dia faz o coração de Simon bater mais forte.

Martin começa a chantageá-lo, e, se Simon não ceder, seu segredo cairá na boca de todos. Pior: sua relação com Blue poderá chegar ao fim, antes mesmo de começar. 

Agora, o adolescente avesso a mudanças precisará encontrar uma forma de sair de sua zona de conforto e dar uma chance à felicidade ao lado do menino mais confuso e encantador que ele já conheceu.

Resenha:

“Branco não devia ser o padrão, assim como hétero não devia ser o padrão. Não devia existir nenhum padrão.”

Sempre tive muita vontade de ler Simon vs. a agenda Homo Sapiens, principalmente em vista dos inúmeros elogios que ouvia da história. Com a aproximação do lançamento do filme, que possui vários atores que gosto, decidi que havia chegado a hora de adiar a leitura, então o adquiri para começá-la.

Gostei bastante dos personagens, principalmente de Simon e Leah. Becky os criou de uma forma real, com características, medos e gostos que nós podemos ter, por isso a aproximação é imediata; e nos faz torcer por Simon diante de todo o drama de se assumir ou não para os familiares e amigos, além do risco de ter sua intimidade com Blue exposta. Infelizmente, não me apeguei tanto ao romance dele e Blue, pois tive a impressão de que Simon gostava mais de Blue do que ele dele - mesmo que isso não seja realmente verdade -, mas acabei torcendo para que tudo desse certo justamente por essa aproximação que Becky cria. Fiquei triste por Leah não ter tanto destaque, pois gostei dela - e fiquei muito feliz ao saber que ela também ganhará um livro solo.