sábado, 14 de dezembro de 2019

[Resenha] Gossip Girl - Eu Sempre Vou Te Amar | Cecily Von Ziegesar

Autora: Cecily Von Ziegesar
Editora: Galera Record
Páginas: 403
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Gossip Girl - I Will Always Love You

Blair, Serena, Nate, Dan e Vanessa foram para a universidade. Mas estão de volta para as férias de inverno. Em alguns meses, muita coisa pode mudar, já outras... não mudarão nunca.

Em meia muitas brigas, amores, separações e drama, o centro das atenções continua em um certo triângulo amoroso. Mas será que ele vai continuar sendo um triângulo? Ou alguém vai ficar de fora e finalmente um casal com um final feliz irá se formar? Façam suas apostas... 

Resenha:

"Quanto mais as coisas mudam, mais continuam as mesmas." (pág. 47)

O universo de Gossip Girl é um dos meus favoritos. Sou viciado na série de TV e os livros, apesar de serem bem diferentes da mesma, também me conquistaram. Por isso, ao mesmo tempo que estava curioso para esse livro final, estava triste, pois é o último - além do último do spin-off, Os Carlyle, que também ainda não li.

Esse décimo terceiro livro se passa meses após o décimo primeiro - o décimo segundo é, na verdade, uma prequel - e acompanha vários Natais e ano-novos dos personagens. Não programei, mas lê-lo logo no comecinho de Dezembro só deixou a história mais imersiva e engraçada. Assim como os anterior a partir do oitavo, esse volume não é escrito por Cecily von Ziegesar, mas o novo autor consegue se assimilar muito a sua escrita e ser fiel ao que ela criou outrora. São diversos momentos divertidos e clichês da época, como personagens brigados sendo obrigados a conviverem em um local por estarem presos pela neve.

segunda-feira, 9 de dezembro de 2019

[Resenha] É Assim Que Acaba - Colleen Hoover

Autora: Colleen Hoover
Editora: Galera Record
Páginas: 368
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: It Ends with Us

Lily nem sempre teve uma vida fácil, mas isso nunca a impediu de trabalhar arduamente para conquistar a vida tão sonhada. Ela percorreu um longo caminho desde a infância, em uma cidadezinha no Maine: se formou em marketing, mudou para Boston e abriu a própria loja.

Então, quando se sente atraída por um lindo neurocirurgião chamado Ryle Kincaid, tudo parece perfeito demais para ser verdade. Ryle é confiante, teimoso, talvez até um pouco arrogante. Ele também é sensível, brilhante e se sente atraído por Lily.

Porém, sua grande aversão a relacionamentos é perturbadora. Além de estar sobrecarregada com as questões sobre seu novo relacionamento, Lily não consegue tirar Atlas Corrigan da cabeça — seu primeiro amor e a ligação com o passado que ela deixou para trás. Ele era seu protetor, alguém com quem tinha grande afinidade.

Quando Atlas reaparece de repente, tudo que Lily construiu com Ryle fica em risco. Com um livro ousado e extremamente pessoal, Colleen Hoover conta uma história arrasadora, mas também inovadora, que não tem medo de discutir temas como abuso e violência doméstica. Uma narrativa inesquecível sobre um amor que custa caro demais.

Resenha:

“Vou continuar fingindo que estou nadando, quando na verdade só estou boiando. Quase sem conseguir manter a cabeça fora d’água”.

Existem alguns livros de Colleen Hoover que tenho muita curiosidade, mas É Assim Que Acaba era o que eu mais tinha, devido suas avaliações e resenhas extremamente positivas. Já sabia um pouco sobre o que o livro tratava, mas não que seria uma experiência tão forte.

Colleen consegue com maestria criar personagens críveis e que nos conquistam, e isso não foi diferente com Lily, Atlas e Ryle. Devido a seu passado, Lily consegue nossa afeição logo no início, assim como sua relação com Ryle, na primeira parte. Atlas, apesar de não ter uma participação tão grande quanto Ryle, é extremamente importante para a história - as partes contando seu passado com Lily foram minhas favoritas, inclusive. Os três cumprem bem seus papéis. Até os personagens secundários são ótimos, principalmente Alyssa e o marido.

sexta-feira, 6 de dezembro de 2019

[Resenha] A Desconstrução de Mara Dyer - Michelle Hodkin

Autora: Michelle Hodkin
Editora: Galera Record
Páginas: 378
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Unbecoming of Mara Dyer

Um grupo de amigos. Uma tábua Ouija. Um presságio de morte. Mara Dyer não estava interessada em mensagens do além. Mas para não estragar a diversão da melhor amiga justo em seu aniversário ela decide embarcar na brincadeira. Apenas para receber um recado de sangue.

Parecia uma simples piada de mau gosto... até que todos os presentes com exceção de Mara morrem no desabamento de um velho sanatório abandonado. O que o grupo estaria fazendo em um prédio condenado? A resposta parece estar perdida na mente perturbada de Mara. Mas depois de sobreviver à traumática experiência é natural que a menina se proteja com uma amnésia seletiva. Afinal, ela perdeu a melhor amiga, o namorado e a irmã do rapaz.

Para ajudá-la a superar o trauma a família decide mudar para uma nova cidade, um novo começo. Todos estão empenhados em esquecer. E Mara só quer lembrar. Ainda mais com as alucinações - ou seriam premonições? - Os corpois e o véu entre realidade, pesadelo e sanidade se esgarçando dia a dia. Ela precisa entender o que houve para ter uma chance de impedir a loucura de tomá-la....

Resenha:

Mara Dyer não sabe se é louca ou apenas assombrada. Tudo o que sabe é que tudo à sua volta morre. Basta ela querer.

A trilogia Mara Dyer sempre foi uma história que quis ler, desde o hype que o booktube tinha por ela, em 2013. Mas como os livros são extremamente caros, adiei esse momento até o dia que encontrei A Desconstrução de Mara Dyer com um preço incrível. E foi impossível não pegá-lo na mesma hora!

A história é realmente muito envolvente e imersiva. Apesar de em pequenos momentos ela parecer cansativa e lenta, você não consegue largar o livro até descobrir respostas - em diversos momentos, é possível lembrar de filmes de suspense e é uma sensação boa. Por mais que fique claro que uma das possibilidades do que está acontecendo é inviável, você ainda não se sente totalmente certo disso. É uma sensação angustiante, por isso é muito fácil se pôr no lugar de Mara, já que ela está passando pelo mesmo.

terça-feira, 3 de dezembro de 2019

[DICA + TUTORIAL] Como ganhar R$10 + R$20 de desconto pelo RecargaPay


Há alguns dias, está rolando no app RecargaPay dois cupons de desconto para os usuários, de R$10 e R$20, respectivamente. Eu já utilizei os dois e comprovei que não é fake news, então quem quiser ajuda para usar também, basta seguir o tutorial abaixo:

Primeiro, instale o app RecargaPay na Play Store ou Loja iTunes e faça o cadastro respondendo o que ele pede. O app é confiável - já o uso há anos para recargas - e não fará nenhuma cobrança indevida, pode ficar tranquilo (a). Por mais que o app não desconte nada, é necessário o cartão se não os cupons não descontarão (é possível excluir os dados do cartão após a compra, se você preferir).

∙ PARA O CUPOM DE R$10: 

sexta-feira, 29 de novembro de 2019

[Resenha] Archie - Volume 1 | Mark Waid & Fiona Staples

Autores: Mark Waid, Fiona Staples, Annie Wu & Veronica Fish
Editora: Geektopia
Páginas: 160
Classificação: 4/5
Título Original: Archie #1

O adolescente favorito da América, Archie Andrews, renasce nas páginas desta graphic novel imperdível que reúne as primeiras seis edições dos quadrinhos de que todo mundo está falando, um universo repleto de nostalgia que inspirou a série de TV de sucesso.

Além do jovem e desastrado Archie, conheça também seu melhor amigo, o excêntrico Jughead; sua vizinha, Betty (s2); e a esnobe e sedutora Veronica Lodge. Está tudo aqui: o triângulo amoroso, as amizades, o humor, o charme e muita diversão – com uma cara decididamente moderna.

Trazido a você por um mestre das histórias em quadrinhos, o escritor Mark Waid, e por um time incrível de artistas, como Fiona Staples, Annie Wu e Veronica Fish, este volume de Archie apresenta aos leitores uma nova visão de um personagem que fez história no mundo dos quadrinhos. Um livro para todos os jovens – seja em idade, seja em espírito.

Resenha:

Bem-vindo a Riverdale.

Diferente do Brasil, onde só tornaram-se conhecidas após a estreia da série de TV Riverdale, as HQs do universo Archie são bem famosas nos EUA. Elas já possuem diversas versões, universos alternativos e afins. Uma das novas reimaginações são essa nova série, com os personagens repaginados com um visual mais similar ao atual.

Essa versão também é bastante ligada ao seriado, pelos personagens parecerem fisicamente com os de lá, mas a similaridade acaba por aí. Enquanto Riverdale segue um caminho mais obscuro, o foco dessa graphic novel é a comédia. Os tons são claros e divertidos, assim como os dramas bem "lights". Esse primeiro volume é um compilado com as cinco primeiras edições - cada uma possui cerca de 20 páginas e são lançadas sozinhas lá fora, e posteriormente nesse compilado - e é uma leitura que nos diverte e relaxa, sem "grandes ensinamentos".

quarta-feira, 27 de novembro de 2019

[Resenha] Nothing Less - Anna Todd

Autora: Anna Todd
Editora: Astral Cultural
Páginas: 320
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Nothing Less

Landon Gibson sempre foi o cara bonzinho e capaz de fazer qualquer coisa por todo mundo — altruísta até demais.

Apesar de continuar determinado a não perder sua gentileza inata, ele está começando a perceber que precisa pensar mais em si mesmo, principalmente quando lida com uma ex-namorada que ora se aproxima, ora se afasta.

E ainda mais quando está diante da misteriosa Nora, uma garota com pelo menos dois nomes e várias facetas diferentes. A verdade é que ele só quer ter alguém ao seu lado, mas precisa torcer para que o campo de batalha que são as relações amorosas em Nova York não seja perigoso demais para ele.

PS: A resenha poderá conter spoilers do livro anterior.

Resenha:

Nothing more, nothing less.

Nothing More foi uma ótima leitura, por isso estava bem animado para ler esse segundo volume da duologia e ver como Landon terminaria.

Landon foi um personagem que me identifiquei de cara no volume anterior. Penso e ajo muitas vezes igual á ele, por isso foi fácil me ver torcendo para que ele se livrasse de relacionamentos tóxicos que possui à sua volta. Ainda que Landon tenha uma dependência gritante com uma figura de seu passado, é compreensível, afinal ela era a única parte boa dessa época de sua vida. Foi um desapego necessário.

segunda-feira, 25 de novembro de 2019

[Resenha] Senhor das Sombras - Cassandra Clare

Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 602
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Lord of Shadows

A ensolarada Los Angeles pode ser um lugar sombrio na continuação de Dama da Meia-Noite, de Cassandra Clare. Emma Carstairs finalmente conseguiu vingar a morte dos pais e pensou que com isso estaria em paz. Mas se tem uma coisa que ela não encontrou foi tranquilidade.

Dividida entre o amor que sente pelo seu parabatai Julian e a vontade de protegê-lo das graves consequências que um relacionamento entre os dois pode trazer, ela começa a namorar Mark Blackthorn, irmão de Julian. Mark, por sua vez, passou os últimos cinco anos preso no Reino das Fadas e não sabe se um dia voltará a ser o Caçador de Sombras que já foi.

Como se não bastasse, as cortes das fadas estão em polvorosa. O Rei Unseelie está farto da Paz Fria e decidido a não mais ceder às exigências dos Nephlim. Presos entre as exigências das fadas e as leis da Clave, Emma, Julian e Mark devem encontrar um modo de proteger tudo aquilo que mais amam — juntos e antes que seja tarde.

Nota: A resenha pode conter spoilers do volumes anterior.

Resenha:

"A ferida é o lugar por onde a luz entra em você."

Dama da Meia-Noite foi um ótimo começo para uma nova trilogia do Universo dos Shadowhunters. Os personagens são cativantes, a trama nos envolve; então você torce e quer saber o que acontecerá com eles com o passar das páginas. E em Senhor das Sombras, não foi diferente.

Julian e Emma são ótimos protagonistas e Cassandra consegue nos envolver com os dois bem mais nesse livro, devido a novas informações sobre a ligação Parabatai e a maldição que o envolvimento romântico envolve. A ligação entre Mark, Cristina e Kieran também ganha novas nuances e foi interessante ver os três interagindo; assim como Ty, Kit e Livvy, que roubam grande parte do livro pela união que desenvolvem entre si. Annabel também é um tipo interessante e dúbio; em nada lembra os problemas que protagonistas anteriores precisaram enfrentar.

sábado, 23 de novembro de 2019

[Resenha] Vermelho, Branco e Sangue Azul - Casey McQuiston

Autora: Casey McQuiston
Editora: Seguinte
Páginas: 392
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Red, White and Royal Blue

Quando sua mãe foi eleita presidenta dos Estados Unidos, Alex Claremont-Diaz se tornou o novo queridinho da mídia norte-americana. Bonito, carismático e com personalidade forte, Alex tem tudo para seguir os passos de seus pais e conquistar uma carreira na política, como tanto deseja.

Mas quando sua família é convidada para o casamento real do príncipe britânico Philip, Alex tem que encarar o seu primeiro desafio diplomático: lidar com Henry, irmão mais novo de Philip, o príncipe mais adorado do mundo, com quem ele é constantemente comparado ― e que ele não suporta.

O encontro entre os dois sai pior do que o esperado, e no dia seguinte todos os jornais do mundo estampam fotos de Alex e Henry caídos em cima do bolo real, insinuando uma briga séria entre os dois. Para evitar um desastre diplomático, eles passam um fim de semana fingindo ser melhores amigos e não demora para que essa relação evolua para algo que nenhum dos dois poderia imaginar ― e que não tem nenhuma chance de dar certo. Ou tem?

Resenha:

O que pode acontecer quando o filho da presidenta dos EUA se apaixona pelo príncipe da Inglaterra?

Assim que Vermelho, Branco e Sangue Azul foi anunciado pela Editora Seguinte, fiquei animado para lê-lo. A sinopse já entregava que seria uma leitura divertida e foi, de fato, apesar de alguns pequenos empecilhos.

Alex e Henry são ótimos personagens, sem nenhum esteriótipo. Confesso que em alguns momentos, Alex me irritava, mas nada realmente que comprometesse a leitura. Já Henry me conquistou desde o início, e queria ter visto momentos pelo seu ponto de vista; Casey cede tantos desses momentos para Alex, que torna-se até injusto não ter feito o mesmo com Henry. A prova disso são as sequências finais no Palácio Real, que são incríveis. Teria sido perfeito ver mais da família.

quinta-feira, 21 de novembro de 2019

[Resenha] As Crônicas de Bane - Cassandra Clare

Autoras: Cassandra Clare, Maureen Johnson & Sarah Rees Brennan
Editora: Galera Record
Páginas: 388
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Bane Chronicles

Nesta edição ilustrada, são narradas as mais diversas aventuras do feiticeiro imortal Magnus Bane, das aclamada séries de Cassandra Clare.

Entre escapadas no Peru e resgates reais na Revolução Francesa, acompanhe fragmentos da vida do enigmático mago ocorridos em diversos países e períodos históricos, com aparições de figuras conhecidas como Clary, Tessa, Will e Alec, personagens de Os Instrumentos Mortais e As Peças Infernais.

Resenha:

A vida de Magnus Bane, o feiticeiro de 'Os Instrumentos Mortais'.

Magnus sempre foi um dos personagens mais interessantes do universo Shadowhunter criado por Cassandra Clare, por isso, é óbvio que sempre tive vontade e curiosidade de ler esse livro, que conta algumas de suas histórias.

terça-feira, 12 de novembro de 2019

[Resenha] Gossip Girl - O Início: Só Podia Ser Você | Cecily Von Ziegesar

Autora: Cecily Von Ziegesar
Editora: Galera Record
Páginas: 420
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Gossip Girl - It Had to Be You

Você ouviu os rumores... Finalmente, Gossip Girl revela o que realmente aconteceu antes do começo da série best seller do New York Times. Amigos de infância, Nate, Serena e Blair são inseparáveis...

O único porem é que as duas estão perdidamente apaixonadas por ele - e uma não sabe o que a outra sente! Será o fim de uma amizade? Ou o início de um triângulo amoroso? Façam as suas apostas....

Resenha:

"Com todos os seus defeitos, eu ainda te amo. Tinha que ser você." - It Had to Be You, Frank Sinatra.

Diferente da série de TV Gossip Girl que revelou já no final da 1ª temporada a razão de Serena ir embora de Nova York, a série de livros não fez questão de explicar isso. Até agora. O 12º (!) volume veio para sanar todas as dúvidas sobre como os personagens se conheceram e se relacionavam antes dos acontecimentos do primeiro livro, As Delícias da Fofoca e, assim como os anteriores, foi um ótimo capítulo.

Diferente dos volumes a partir do nono, quando a série começou a ser escrita por um ghostwriter - até hoje não explicado o porquê -, Cecily von Ziegesar voltou a ser a autora da série e nada melhor do que ela para nos contar o passado dos personagens. Esse também foi o maior livro da série, com mais de 400 páginas - os anteriores têm no máximo 300 -, mas a história é tão viciante que nem percebemos as páginas passarem.