segunda-feira, 14 de janeiro de 2019

[Resenha] Bom Ano - Pam Gonçalves

Autora: Pam Gonçalves
Editora: Galera Record
Páginas: 51
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: Bom Ano

Pam Gonçalves traz de volta a Manu, de Boa noite, para falar sobre amor, amizade e aquele medo que dá quando precisamos encarar a vida adulta.

Um ano e meio depois dos acontecimentos de Boanoite e tudo o que Manu quer é reunir os amigos e ter uma noite de Ano-Novo divertida e inesquecível. Agora que todos estão se formando na faculdade, a vida parece um verdadeiro tsunami. E o mais inquietante é que todos parecem saber muito bem como lidar com a vida adulta. Todos, exceto Manu.

Com Dani se recusando a conversar e os amigos ocupados com seus próprios dilemas, a garota investe toda a atenção na festa de Ano-Novo. Organiza comida, bebida, lugar... mas acaba querendo controlar um pouco mais que isso. Bom ano discute o papel dos amigos e amores em momentos cruciais da vida, com o tom sempre bem-humorado e sensível de Pam Gonçalves.

Resenha:

"- Não quero ser adulta."

Além de adorar a Pam como pessoa, também curto demais sua escrita. Todos seus três livros que li - Boa NoiteO Amor nos Tempos de #Likes e Uma História de Verão - foram ótimas leituras; por isso fiquei muito ansioso quando foi anunciado que Manu, uma das personagens do primeiro, ganharia um conto para chamar de seu.

Manu foi uma grata surpresa em Boa Noite e apesar de me indicar com Alina - a principal da história anterior -, isso aconteceu bem mais com Manu aqui. Compartilho ou já compartilhei muito de seus medos e receios em relação ao futuro e as pessoas ao seu redor, por isso o conto veio em ótima hora e foi muito bom lê-lo agora.

sábado, 12 de janeiro de 2019

[Resenha] A Sétima Cela - Kerry Drewery

Autora: Kerry Drewery
Editora: Astral Cultural
Páginas: 316
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Cell 7

Martha Heneydew é a primeira adolescente a ser presa e condenada no novo sistema de justiça da Inglaterra. A polícia a encontrou ao lado do corpo de Jackson Paige, filantropo, milionário e uma das celebridades mais queridas do país.

Nesse novo sistema de justiça, o condenado tem sete dias - cada dia em uma cela diferente - para ter seu destino determinado pelos votos dos telespectadores. Se a audiência do programa de TV "Morte é Justiça" decidir pela inocência do preso, ele será solto. Caso contrário, será morto na cadeira elétrica.

Porém, algumas peças não se encaixam na história que Martha conta para a justiça. Ela se declara culpada, mas há algo por trás da cena do crime que os telespectadores ainda não sabem.

Com a ajuda da consultora psicológica, Eve Stanton, de um juiz do antigo sistema jurídico, Cícero, e do seu grande amor, os sete dias que precedem sua execução serão de muita intensidade, sofrimento, descobertas inesperadas e reviravoltas de perder o fôlego.  Quem é, de verdade, Jackson Paige? Martha Heneydew é realmente culpada? Será que esse sistema jurídico é justo?

Nesta distopia eletrizante, todas essas questões nos fazem refletir sobre o poder do dinheiro que, muitas vezes, prevalece sobre a justiça. E Martha, uma adolescente forte e destemida, mostra sua crença em uma sociedade verdadeiramente justa, na força da amizade e do amor. Mesmo que isso possa significar sua própria vida.

Resenha:

Atrás das grades. Para a sua diversão.

Desde que fiquei sabendo do conceito dessa trilogia, fiquei interessado por ela e assim que tive a chance, comprei o primeiro volume para saber se ela realmente era boa. E, apesar de alguns problemas, A Sétima Cela é realmente interessante.

Infelizmente, não gostei de Martha logo de cara. Apesar de entender seus motivos, achei seu jeito irritante e só comecei a torcer por ela nas últimas páginas; assim como Isaac. Também entendi seus motivos, mas achei muito frio de sua parte deixar Martha passar por certas situações. Eve foi por quem mais torci durante e ela consegue segurar bem a história tentando provar a inocência de Martha, mas os demais personagens são apenas "ok".

terça-feira, 25 de dezembro de 2018

[Resenha] Dama da Meia-Noite - Cassandra Clare

Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 574
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Lady Midnight

Em um mundo secreto onde guerreiros meio-anjo juraram lutar contra demônios, parabatai é uma palavra sagrada. O parabatai é o seu parceiro na batalha. O parabatai é seu melhor amigo. Parabatai pode ser tudo para o outro mas eles nunca podem se apaixonar.

Emma Carstairs é uma Caçadora de Sombras, uma em uma longa linhagem de Caçadores de Sombras encarregados de protegerem o mundo de demônios. Com seu parabatai Julian Blackthorn, ela patrulha as ruas de uma Los Angeles escondida onde os vampiros fazem festa na Sunset Strip, e fadas estão à beira de uma guerra aberta com os Caçadores de Sombras.

Quando corpos de seres humanos e fadas começam a aparecer mortos da mesma forma que os pais de Emma foram assassinados anos atrás, uma aliança é formada. Esta é a chance de Emma de vingança e a possibilidade de Julian ter de volta seu meio-irmão fada, Mark, que foi sequestrado há cinco anos. Tudo que Emma, Mark e Julian tem a fazer é resolver os assassinatos dentro de duas semanas antes que o assassino coloque eles na mira.

Suas buscas levam Emma de cavernas no mar cheias de magia para uma loteria sombria onde a morte é dispensada. Enquanto ela vai descobrindo seu passado, ela começa a confrontar os segredos do presente: O que Julian vem escondendo dela todos esses anos? Por que a Lei Shadowhunter proíbe parabatais de se apaixonarem? Quem realmente matou seus pais e ela pode suportar saber a verdade?

Resenha:

"É mais fácil acabar com o amor que alguém sente por você do que com o amor que você sente por alguém."

Eu amo o universo Shadowhunter criado por Cassandra Clare, então fico ansioso para ler qualquer novo livro que é anunciado. E com Dama da Meia-Noite, que inicia a trilogia Os Artifícios das Trevas, não foi diferente. Infelizmente, demorei bastante para começá-la, mas agora que o terceiro volume acaba de ser lançado, decidi correr contra o tempo antes de receber os famosos spoilers do final.

Adorei todos os personagens, principalmente Emma e os Blackthorn, claramente. É perceptível o amor que um nutre pelo outro, mas meus favoritos foram Julian e Mark; o primeiro por toda a dedicação e cuidado que tem com as pessoas que ama e o segundo por ter a história mais interessante do livro. Também curti seu romance com Emma, assim como Malcolm. Ele é bem engraçado e é impossível não lembrar de Magnus em suas falas, mesmo que ele seja mais sentimental. E para quem sente saudades dos personagens de Os Instrumentos Mortais, temos a volta de alguns, mesmo que rapidamente. O capítulo extra e exclusivo da primeira edição, inclusive, é um presente para os fãs - principalmente os de Sizzy. Apenas Kieran me irritou com seu jeito e ações um tanto egoístas, mesmo que seja possível entendê-lo.

domingo, 23 de dezembro de 2018

[Resenha] Caixa de Pássaros - Josh Malerman

Autor: Josh Malerman
Editora: Intrínseca
Páginas: 272
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Bird Box

Romance de estreia de Josh Malerman, Caixa de Pássaros é um thriller psicológico tenso e aterrorizante, que explora a essência do medo. Uma história que vai deixar o leitor completamente sem fôlego mesmo depois de terminar de ler.

Basta uma olhadela para desencadear um impulso violento e incontrolável que acabará em suicídio. Ninguém é imune e ninguém sabe o que provoca essa reação nas pessoas. Cinco anos depois do surto ter começado, restaram poucos sobreviventes, entre eles Malorie e dois filhos pequenos. Ela sonha em fugir para um local onde a família possa ficar em segurança, mas a viagem que tem pela frente é assustadora: uma decisão errada e eles morrerão.

Resenha:

Não abra os olhos.

A premissa de Caixa de Pássaros sempre chamou minha atenção, desde seu lançamento pela Intrínseca, mas por nenhum motivo específico, sempre acabava adiando a leitura. Porém, com o filme cada vez mais próximo de sair na Netflix, resolvi pegá-lo de vez antes que fosse tarde demais.

Sobre a história, Josh fez um trabalho brilhante! É uma leitura extremamente sensorial e descritivo, mas o autor não exagera escrevendo páginas e páginas de descrição; ele escreve de maneira simples e ainda assim conseguimos imaginar tais momentos. Ao longo da leitura, são discutidas vários possibilidades e explicações para o que está causando o caos, mas a minha preferida é a levantada por Malorie já perto do final. Chega a ser poética, o que é quase uma loucura em um cenário pós-apocalíptico. Assim como muitas pessoas, também queria um final mais elaborado, saber mais informações do que ocorreria em seguida, mas ainda assim não o achei de fato ruim.

sábado, 15 de dezembro de 2018

[Resenha] Vampironica #1 e #2 - Archie Comics

Autores: Jack Morelli, Greg Smallwood e Megan Smallwood
Editora: Archie Comics
Páginas: 26 (Cada edição)
Classificação: 5/5 (Vol. 1) | 4/5 estrelas (Vol. 2)
Título Original: Vampironica

Quando Veronica é mordida por um vampiro secular, sua sede de sangue ameaça transformar Riverdale em um refúgio para os mortos-vivos. Ela vai pôr fim à ameaça de vampiro ou ceder à sua luxúria de sangue?

Resenha:

Veronica vai pôr fim à ameaça dos vampiros ou ceder à sua luxúria de sangue?

Sem dúvidas, todo mundo conhece ou já ouviu falar de Riverdale. Mas antes de tornar-se uma série de TV, os personagens nasceram das HQs Turma do Archie, da Archie Comics, e que possui diversos universos. Um deles é o Archie Horror, que os introduziu em sagas de terror, e uma delas é Vampironica, que acompanha a luta de Veronica para exterminar os vampiros da cidade... antes que renda-se ao seu novo instinto e os ajude a dominar Riverdale.

Lançada em 2018, essa série já possui cinco volumes e como são todos curtinhos - apenas 25 páginas cada; dá para ler em menos de vinte minutos -, irei fazer uma resenha coletiva, focando nos dois primeiros já traduzidos:

#1 - First Blood:

Sinopse: Quando Veronica é mordida por um vampiro secular, sua sede de sangue ameaça transformar Riverdale em um refúgio para os mortos-vivos. Ela vai pôr fim à ameaça de vampiro ou ceder à sua luxúria de sangue?

Adorei esse quadrinho! Ainda não li os originais de Archie, mas como já conheço os personagens pela série, foi fácil se familiarizar com os que apareceram aqui. Como não poderia ser diferente, afinal é a protagonista dessas edições, Veronica rouba a cena e seu jeito irônico nos conquista desde sua primeira fala. Archie, Betty, Reggie e Cheryl têm uma rápida participação apenas para ambientar os acontecimentos, mas espero vê-los nos próximos.

-----


#2 - I Know What You Are:

Sinopse: O estudante mais inteligente da Riverdale High descobre o segredo de Veronica. Ele vai ajudar ou tentar colocar uma estaca no coração dela?

Esse segundo volume começa de onde o anterior terminou e foca em dar uma explicação para a origem dos vampiros que estão em Riverdale. A intenção é benéfica, como em qualquer história, mas o primeiro volume foi bem melhor; quero mais cenas da Veronica chutando os vilões hahaha. Assim como First Blood, essa edição termina com o ganchinho que nos deixa sedentos pela continuação, e assim que ela for traduzida, iniciarei a leitura.

PS: As HQs ainda não foram lançadas no Brasil nem possuem previsão para isso. A tradução dos mesmos foi feita pela equipe Riverdale Brasil, então todos os créditos são a eles. Se caso você queira baixá-los, basta clicar aqui.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2018

[Resenha] Último Sacrifício - Richelle Mead

Autora: Richelle Mead
Editora: Agir
Páginas: 536
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Last Sacrifice
Compre: Amazon Brasil

Rose Hathaway sempre jogou com suas próprias regras. Ela quebrou as regras quando fugiu da Academia St. Vladimir com sua melhor amiga e a última princesa Dragomir sobrevivente, Lissa.

Ela quebrou as regras quando se apaixonou por seu maravilhoso e fora-dos-limites instrutor, Dimitri. E ela ousou desafiar a Rainha Tatiana, a líder do mundo Moroi, arriscando sua vida e reputação para proteger futuras gerações de guardiões dhampir.

Agora a lei finalmente pegou Rose por um crime que ela sequer cometeu. Ela está presa pelo mais alto crime imaginável: o assassinato de um monarca. Ela precisará da ajuda de Dimitri e Adrian para encontrar a única pessoa viva que pode atrasar sua execução e forçar a elite Moroi a reconhecer uma chocante nova candidata ao trono real: Vasilisa Dragomir. Mas o relógio está correndo contra a vida de Rose. Ela sabe em seu coração que o mundo dos mortos a quer de volta… E desta vez ela realmente não tem uma segunda chance. A grande questão é: quando sua vida é dedicada a salvar os outros, quem vai te salvar?

Nota: Esse é o sexto e último livro da série, por isso, a resenha pode conter spoilers dos anteriores.

Resenha:

"Algumas vezes, os maiores testes de força são situações que não parecem obviamente perigosas. As vezes, sobreviver é a coisa mais difícil."

Academia de Vampiros foi uma série que me conquistou instantaneamente. Apenas O Beijo das Sombras que li em 2017, mas todos os outros cinco foram durante 2018 e, quando estava chegando a hora de ler Último Sacrifício, a dor de ser o último já começou a bater.

Os personagens continuam nos cativando e fazendo torcer por eles, principalmente Rose e Dimitri. Apesar de todos os problemas, principalmente nos dois livros anteriores, adoro os dois juntos e sempre torci para que ficassem juntos. As interações entre eles nesse último livro são uma melhor que a outra, ainda mais por conta dos problemas que os impede de ficarem juntos. Lissa e Christian também continuam ótimos e ganhando nossa torcida, mesmo que não tenham nenhum empecilho para o romance nesse capítulo.

sábado, 8 de dezembro de 2018

[Resenha] Dezesseis - Rachel Vincent

Autora: Rachel Vincent
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 240
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: Brave New Girl

Dahlia 16 vê seu rosto em toda multidão. Ela não tem nada de especial – é apenas uma entre as outras cinco mil garotas que foram criadas visando o bem da cidade. Ao conhecer Trigger 17, porém, tudo muda. Ele a considera interessante. Linda. Única. Isso significa que ele deve ser defeituoso.

Quando Dahlia não consegue parar de pensar nele – nem resistir a procurá-lo, ainda que isso signifique quebrar as regras – ela percebe que deve ser defeituosa também. Mas, se ela for defeituosa, todas as idênticas também são. E qualquer genoma com defeito descoberto deve ser recolhido. Destruído. Ser pega com Trigger não apenas selaria o destino de Dahlia, mas o das cinco mil garotas com o mesmo rosto. No entanto… e se Trigger estiver certo? E se Dahlia for mesmo diferente? Subitamente, a garota que sempre seguiu todas as regras começa a quebrá-las, uma a uma…

Resenha:

Em um mundo em que todos são iguais, ela ousou sair do padrão.

Desde que a Universo dos Livros anunciou o lançamento de Dezesseis, fiquei curioso por sua proposta. Em uma época onde inúmeras ideias para distopias foram apresentadas, é curioso que nenhum autor tenha concebido uma parecida com essa.

Gostei bastante do mundo criado. Achei o início um pouco confuso - principalmente em relação a Dahlia e suas "irmãs" -, mas depois é fácil imergir na história. Rachel consegue nos envolver para descobrir mais sobre Lakeview, uma cidade aparentemente utópica, mas com inúmeros segredos que sequer cogitamos. Quando a história se aproxima do fim, há um plot twist insano e sequer cogitei que as coisas iriam por esse caminho. Sem dúvidas, me deixou curioso para saber a continuação, e espero que a Universo a lance o mais rápido possível.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2018

[Resenha] Dilúvio - Lauren Kate

Autora: Lauren Kate
Editora: Galera Record
Páginas: 308
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Waterfall

Em Dilúvio, segundo livro de Teardrop, Lauren Kate nos proporciona a continuação da história de Eureka, cujas lágrimas inundaram a terra e agora trazem Atlântida de volta. Com o reino perdido retorna Atlas, seu malévolo monarca, e Eureka é a única que pode detê-lo.

Mas para isso, ela precisará viajar pelos oceanos com Cat, Ander e sua família. E apenas com sua força interior ela poderá adquirir o conhecimento de que precisa para derrotar Atlas – antes que ele se aproveite de seu coração partido para alimentar seu reino.

Resenha:

"Às vezes, quando a pessoa tenta não cometer os mesmos erros, acaba se esquecendo de que as conseqüências dos erros originais ainda estão se revelando."

Eu adorei o universo criado por Lauren Kate em Teardrop: Lágrima, por isso quis logo ler a continuação. Mas demorei mais de três anos para fazê-lo, tendo até que reler o primeiro antes, pois lembrava de pouca coisa. Agora que enfim terminei a duologia, estou com um misto de sentimentos por tudo que ocorreu.

A ambientação desse segundo volume está totalmente diferente após o desfecho do anterior. Em alguns momentos, é complicado se situar - principalmente no início - mas apesar de Atlântida ter um cenário extenso, Lauren explora poucos ambientes, nos fazendo familiarizar-se com ele depois da estranheza inicial. Há também várias reviravoltas inesperadas, que não cogitamos durante Teardrop mas que fazem sentido e dão uma nova visão sobre a história.

quinta-feira, 29 de novembro de 2018

[Resenha] O Ódio Que Você Semeia - Angie Thomas

Autora: Angie Thomas
Editora: Galera Record
Páginas: 378
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Hate U Give

Starr aprendeu com os pais, ainda muito nova, como uma pessoa negra deve se comportar na frente de um policial: Não faça movimentos bruscos. Deixe sempre as mãos à mostra. Só fale quando te perguntarem algo. Seja obediente.

Quando ela e seu amigo, Khalil, são parados por uma viatura, tudo o que Starr espera é que Khalil também conheça essas regras. Um movimento errado, uma suposição e os tiros disparam. De repente o amigo de infância da garota está no chão, coberto de sangue. Morto.

Em luto, indignada com a injustiça tão explícita que presenciou e vivendo em duas realidades tão distintas (durante o dia, estuda numa escola cara, com colegas brancos e muito ricos - no fim da aula, volta para seu bairro, periférico e negro, um gueto dominado pelas gangues e oprimido pela polícia), Starr precisa descobrir a sua voz. Precisa decidir o que fazer com o triste poder que recebeu ao ser a única testemunha de um crime que pode ter um desfecho tão injusto como seu início.

Acima de tudo Starr precisa fazer a coisa certa.

Resenha:

T.H.U.G.

Desde que foi lançado no Brasil, sempre ouvi comentários extremamente positivos para O Ódio Que Você Semeia. Além disso, a confirmação da adaptação cinematográfica com dois atores que eu gosto do trabalho - Amandla Stenberg e KJ Apa - só me motivou mais; então iniciei a leitura agora, que o filme está próximo.

Gostei bastante dos personagens, mas apesar de entender sua situação - e provavelmente repetir algumas de suas atitudes -, Starr me irritou em alguns momentos, assim como as de Maverick. Entendo que ele quer proteger seus filhos, ainda mais depois de seu passado, mas achei suas crises e birras para com Carlos e Chris exageradas em várias situações. Lisa, Seven e Sekani, por outro lado, me conquistaram e dei muitas risadas - além de aprendizados - com eles. Carlos e Chris também foram necessários e interessantes, assim como Maya e Hailey. Na verdade, esse é um dos casos onde nenhum personagem é desnecessário e todos têm sua função ou momento, sendo "bonzinhos" ou não.

segunda-feira, 19 de novembro de 2018

[Resenha] Desaparecidas - Lauren Oliver

Autora: Lauren Oliver
Editora: Verus
Páginas: 304
Classificação: 5/5 estrelas
Título Original: Vanishing Girls

As irmãs Dara e Nick eram inseparáveis, mas isso foi antes — antes de Dara beijar Parker, antes de Nick perdê-lo como melhor amigo, antes do acidente que deixou cicatrizes no belo rosto de Dara. Agora as duas, que eram tão próximas, não estão mais se falando. Em um instante Nick perdeu tudo, e está determinada a usar o verão para conseguir sua vida de volta.

Só que Dara tem outros planos. Quando ela desaparece, no dia de seu aniversário, Nick acha que a irmã está se divertindo por aí. Mas outra garota também sumiu — Madeline Snow, de nove anos — e, conforme Nick procura pela irmã, fica cada vez mais convencida de que os dois desaparecimentos podem estar conectados.

Neste livro tenso e cativante, Lauren Oliver cria um mundo de intrigas, perdas e suspeitas, enquanto duas irmãs buscam encontrar uma à outra — e a si mesmas.

Resenha:

“Às vezes, o que sobe desce e o que desce sobe, e o amor se transforma em ódio, e as coisas com as quais contávamos são arrancadas de debaixo dos nossos pés e nos deixam pedalando no ar.”

Me tornei grande fã de Lauren Oliver após ler a trilogia Delírio e Antes Que Eu Vá, o que me motivou a ler todas suas obras. Infelizmente, a autora não recebe no Brasil um reconhecimento à altura que merece, com alguns títulos ainda não lançados e sem editora, o que dificulta minha meta. Mas desde que Desaparecidas foi lançado aqui, contei os segundos para lê-lo.

Ainda estou impactado após a conclusão da leitura. Apesar de um início lento - mas totalmente compreensível após o final - Lauren conseguiu me envolver nesse universo e nem desconfiar do que realmente estava acontecendo. Dificilmente um thriller me engana e sempre acabo matando a charada durante a leitura, mas isso não aconteceu aqui e quando todas as peças foram encaixadas, me vi voltando em vários momentos, percebendo que tudo fazia sentido - com certeza, isso acontecerá com quem ler. E construindo ainda mais um clima intrigante na história, temos o parque FanLand, que rende ótimos momentos.