terça-feira, 31 de outubro de 2017

[Resenha] Despertar - Kelley Armstrong

Autora: Kelley Armstrong
Editora: Novo Século
Páginas: 288
Classificação: 1.5/5 estrelas
Título Original: The Awakening (Darkest Powers #2)

Geneticamente modificada por um sinistro time de cientistas conhecido como Grupo Edison, Chloe poderia até ser considerada uma aberração - ela é uma poderosa necromante, capaz de ver fantasmas e até de invocar os mortos, o que geralmente traz perigosas consequências.

Agora, seus poderes cada vez mais fortes surgem como uma ameaça aos membros do Grupo Edison, que então resolvem dar um fim a seus experimentos - permanentemente.

Chloe é lançada em uma corrida por sua própria vida, acompanhada por outros três adolescentes superdotados; um charmoso feiticeiro, um problemático lobisomem e uma bruxa jovem e temperamental. Juntos, eles têm a chance de conseguir sua liberdade.

Nota: A resenha pode conter spoilers do primeiro livro da trilogia, Invocação.

Resenha:

Invocação não foi uma leitura tão positiva, apesar de alguns pontos terem sido interessantes, por isso não estava tão animado para a continuação. Mas como encontrei Despertar na Bienal da minha cidade por dez reais, decidi trazê-lo e dar mais uma chance para a trilogia. Infelizmente, não foi uma boa decisão.

Apesar das primeiras páginas serem interessantes, com uma maior explicação do que é o Grupo Edison e como os adolescentes foram modificados, a história logo se perde quando a ambientação passa para outro lugar. Despertar é o típico livro enrolação da trilogia, pois nada realmente importante ocorre fora as páginas iniciais. Até mesmo o tom mínimo de suspense que existia no primeiro livro se esvai aqui.

terça-feira, 17 de outubro de 2017

[Resenha] Fogo Contra Fogo - Jenny Han e Siobhan Vivian

Autoras: Jenny Han e Siobhan Vivian
Editora: Novo Conceito
Páginas: 352
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Ashes to Ashes

A festa de Ano-novo terminou com uma tragédia irreparável, e Mary, Kat e Lillia podem não estar preparadas para o que está por vir. Após a morte de Rennie, Kat e Lillia tentam entender os acontecimentos fatais daquela noite. Ambas se culpam pela tragédia. Se Lillia não tivesse se apaixonado por Reevie. Se Kat não tivesse deixado Rennie ter partido sozinha. Se a vingança não tivesse ido longe demais, talvez as coisas seriam como antes. 

Agora, elas nunca mais serão as mesmas. Apenas Mary sabe a verdade sobre aquela noite. Sobre o que ela realmente é. Também descobriu a verdade sobre Lillia e Reeve terem se apaixonado, sobre Reeve ser feliz quando tudo o que ele merece é o sofrimento, assim como ela ainda sofre. Para Mary, as tentativas infantis de vingança ficaram no passado, ela está fora de controle e pretende sujar suas mãos de sangue, afinal, não tem mais nada a perder.

Nota: A resenha pode conter spoilers dos livros anteriores, Olho Por Olho e Dente Por Dente. Leia por sua conta e risco!

Resenha:

Os segredos as uniram, mas a verdade pode separá-las para sempre.

O final de Dente Por Dente foi incrível, por isso eu estava louco pelo terceiro livro da trilogia, que demorou bastante para sair - pensei até que a Novo Conceito havia desistido, e talvez isso deva ter acontecido mesmo, mas voltou atrás depois de inúmeros pedidos dos leitores. Infelizmente, apesar de não ser ruim, o livro não supriu totalmente a minha ansiedade e espera pelo desfecho da história.

Kat e Mary pareceram quase secundárias em comparação à Lillia, que teve inúmeros capítulos aqui e muito mais destaque - o que já havia acontecido em Dente Por Dente. O fato de Mary estar mais apagada nesse volume é até compreensível, por conta de seu plot, mas Kat merecia mais espaço na história, principalmente porque quase 98% dos momentos de Lillia são em torno de seu romance com Reeve, casal que não me desce. Mesmo assim, Kat teve alguns bons momentos com Alex, o que me deixou bem feliz, pois adoro os dois. Já mudança de Mary, apesar de me parecer mais uma tentativa de nos fazer simpatizar com Reeve, até faz sentido e rende bons momentos na história.

segunda-feira, 9 de outubro de 2017

[Resenha] As Nove Vidas de Chloe King: Banidos - Liz Braswell

Autora: Liz Braswell
Editora: Galera Record
Páginas: 224
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: The Nine Lives of Chloe King - The Fallen

Chloe King parece uma adolescente normal. Vai à escola, discute com mãe e se apaixona. Mas perto de seu aniversário de 16 anos, ela desconfia que pode não ser assim tão comum.

A visão noturna, os reflexos super-rápidos e as garras são algumas das pistas... Ao descobrir o que é — e de onde vem — ela logo percebe que não está sozinha. Alguém quer pegá-la. A qualquer custo. Ela tem nove vidas. Mas serão o bastante?

Resenha:

Perder uma vida pode realmente mudar uma garota.

Eu adorava The Nine Lives of Chloe King, então fiquei revoltado quando a ABC Family (agora Freeform) cancelou a série, principalmente depois daquela incrível Season Finale. A emissora até pensou em produzir um filme para concluir a história, mas acabou desistindo e divulgando o roteiro na internet, respondendo todas as perguntas deixadas na série. Não foi uma conclusão decente, óbvio, mas pelo menos aconteceu, diferente de muitas que são canceladas e nenhuma explicação é dada. Por isso, decidi ler os livros que inspiraram a série, pelo menos para matar a saudade dos personagens.

E começando por ele, são definitivamente o ponto alto do livro. É visível que a série foi bem fiel e todas as características deles foram mantidas na adaptação. Chloe é bem humana, com toda a impulsividade comum nos adolescentes; enquanto Alyec - sim, nos livros é Alyec, e não Alek - possui o mesmo ar bad boy, mas que não é irritante, e se preocupa com Chloe. Os dois são meus personagens favoritos na série, então foi ótimo ver que eles possuem a mesma personalidade nas duas mídias. Brian, a outra ponta do triângulo, também continua igual, possuindo apenas um drama diferente, que talvez viesse a acontecer na série, caso ela não tivesse sido cancelada. Os mais diferentes são Paul e Amy, amigos de Chloe, que na série possuem um tom mais cômico e aqui são mais centrados, mas nada prejudicial.

sexta-feira, 6 de outubro de 2017

[Resenha] A Lista Negra - Jennifer Brown

Autora: Jennifer Brown
Editora: Gutenberg
Páginas: 272
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Hate List

O namorado de Valerie Leftman, Nick Levil, abriu fogo contra vários alunos na cantina da escola em que estudavam. Atingida ao tentar detê-lo, Valerie também acaba salvando a vida de uma colega que a maltratava, mas é responsabilizada pela tragédia por causa da lista que ajudou a criar. A lista com o nome dos estudantes que praticavam bullying contra os dois. A lista que ele usou para escolher seus alvos.

Agora, ainda se recuperando do ferimento e do trauma, Val é forçada a enfrentar uma dura realidade ao voltar para a escola para terminar o Ensino Médio. Assombrada pela lembrança do namorado, que ainda ama, passando por problemas de relacionamento com a família, com os ex-amigos e a garota a quem salvou, Val deve enfrentar seus fantasmas e encontrar seu papel nessa história em que todos são, ao mesmo tempo, responsáveis e vítimas.

Resenha:

E se você desejasse a morte de uma pessoa e isso acontecesse? E se o assassino fosse alguém que você ama?

Sempre ouvi comentários positivos sobre A Lista Negra, por isso minhas expectativas estavam altas e não via a hora de lê-lo.

Sobre o plot, Jennifer nos dá uma nova perspectiva em torno do tema, pois quase nenhuma história que aborde massacres mostra o retorno do "culpado" para o convívio social. E a autora não nos poupa, é uma história real e dolorosa - talvez na vida real seja até bem pior do que aqui -, e que nos conquista a cada capítulo. Os acontecimentos mostram cada vez mais o quão o bullying é algo que não deve ser praticado de forma alguma, e que as pessoas - principalmente adolescentes - deviam se conscientizar sobre isso.