quinta-feira, 23 de abril de 2015

[Resenha] Amores Infernais - Diversos Autores

Autores: Melissa Marr, Laurie Faria Stolarz, Gabrielle Zevin, Justine Larbalestier e Scott Westerfeld
Editora: Galera Record
Páginas: 288
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Love is Hell

De dois estudantes que deixam o poder de atração os guiar a quebrar as difíceis e fáceis regras de seu mundo, para a menina que se apaixona perdidamente por um fantasma de boa aparência que tem contas á ajustar aqui na Terra. Os inteligentes e os esquisitos personagens dessa coleção emocionante irão quebrar o seu coração, e depois irá deixá-lo acreditar no amor mais do que nunca.

Resenha:

Amar pode ser um inferno, mas sempre vale a pena!

Eu sei que disse na minha resenha de Beijos Infernais que provavelmente eu não leria Amores Infernais tão cedo, mas como eu estou aproveitando o mês de Abril para ver séries que estou há bastante tempo atrasado, achei melhor ler ele pelo fato de serem contos (ou seja, histórias rápidas), assim eu poderia ler sem tanta pressa. Mas para minha grande surpresa, Amores Infernais foi mil vezes melhor do que os livros anteriores.

Dormindo com o Espírito, de Laurie Faria Stolarz, é o primeiro conto e o segundo melhor. Apesar de achar que os amigos da protagonista acreditaram rapidamente que ela via um fantasma, gostei de todos eles e achei que foram bem desenvolvidos. Mesmo o romance sendo o foco da história - e muito bem escrito, vale ressaltar -, a autora ainda investiu em alguns momentos de suspense que não assustaram, mas foram super válidos para a história.

[Resenha] Cretina Irresistível - Christina Lauren

Autora: Christina Lauren
Editora: Universo dos Livros
Páginas: 119
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: Beautiful Bitch

O intenso relacionamento entre Chloe Mills e Bennett Ryan de Cretino Irresistível continua ainda mais ardente e sensual. Agora que a carreira de Chloe está decolando, ela não tem tempo para mais nada e insiste em recusar as investidas de Bennett para passarem um tempo a sós. Ele nunca foi do tipo que aceita um não como resposta e essa disputa resulta em uma ardente relação de amor e obsessão.

Resenha:

Chloe e o Cretino Irresistível estão de volta!

Eu gostei muito de Cretino Irresistível pois achei que as autoras acertaram em cheio em nos fornecer uma relação "normal" diferente de Cinquenta Tons de Cinza, além da história ser contada do ponto de vista dos dois protagonistas e não apenas da mulher. Com o fim do primeiro livro, estava bem animado para essa continuação porque Chloe e Bennett foram dois personagens que me conquistaram.

Mas infelizmente, Cretina Irresistível não traz nada de novo para a série. Pelo fato de ser um livro curto (considerado até apenas um conto), o livro não se torna cansativo, mas com o fim da leitura você fica se perguntando qual a real necessidade desse livro. Ele é literalmente o que está escrito na sinopse, sem tirar nem por nada. Apenas um ano depois do primeiro livro, com um Bennett com saudades de ter um tempo a sós com Chloe, que está ocupada demais para isso.

Não existe nenhuma cena que seja memorável ou que provoque uma reviravolta no relacionamento dos protagonistas. Todas as juras de amor, toda a relação de cão e gato de Cretino Irresistível é apenas repetida aqui sem nada novo. Como eu já disse, não é uma leitura cansativa, mas para os que não são fangirls do livro é apenas um livro desnecessário.

Mas pelo lado positivo foi bom ver que as autoras mantiveram o mesmo clima de Bennett e Chloe; mesmo se amando, nenhum dá o braço a torcer de que é melhor que o outro na relação. E o final até me deixou curioso para ler os dois últimos livros do casal, Paixão Irresistível e Noiva Irresistível - Estranho Irresistível e Playboy Irresistível seguem duas amigas de Chloe, respectivamente, e como não gosto muito das duas não tenho tanta interesse.

quarta-feira, 22 de abril de 2015

Confirmado: "A Seleção" vai virar filme!


O Deadline acabou de informar que a série A Seleção de Kiera Cass irá virar filme! Após leilão, a Warner Bros. garantiu os direitos de adaptação dos livros.

Além disso, o site também informou que Pouya Shahbazian, Denise DiNovi e Alison Greenspan serão os produtores. Pouya é responsável pelos dois primeiros filmes de Divergente, enquanto DiNovi e Greenspan por Se Eu Ficar. O roteiro será escrito por Katie Lovejoy.

Em seu twitter, Kiera anunciou que os fãs fizeram perguntas bem interessantes sobre a produção do filme, e ela pretende fazer um post em seu site oficial respondendo os mesmos. Assim que a autora fizer, iremos postar para vocês.

Vale lembrar que em 2012 e 2013, respectivamente, o canal americano CW produziu dois pilotos do livro para torná-los uma série, mas ambos foram rejeitados no processo de avaliação.

quarta-feira, 15 de abril de 2015

[Resenha] Beijos Infernais - Diversas Autoras

Autoras: Kristin Cast, Richelle Mead, Alyson Noël, Francesca Lia-Brock e Kelley Armstrong
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Kisses From Hell

Cinco histórias de amor e medo, onde a paixão e o sobrenatural misturam-se a todo instante. Tanto na história de uma vampira fugitiva que se vê forçada a confiar em um garoto cuja missão é destruí-la até a relação de amor entre dois imortais, o limite entre o desejo e o perigo torna-se cada vez mais visível.

Kristin Cast, Richelle Mead, Alyson Noel, Kelley Armstrong e Francesca Lia Block fazem o leitor questionar o verdadeiro sentido do “amor eterno” e mostram seus prós e contras.

Resenha:

O que um beijo é capaz de despertar?

Por ter me decepcionado com Formaturas Infernais, eu estava com medo de começar os outros livros. Eu sei que cada conto é de um autor diferente e não são obrigados a ser ruins como o do primeiro, mas estava com medo de que eles fossem tão bobos quanto os do livro inicial. Depois de muita indecisão, decidi pular Amores Infernais e ler logo Beijos Infernais, pois amei essa capa. Assim como fiz com Formaturas Infernais, dedicarei um parágrafo para cada conto e no fim, comentarei o livro no geral.

Começando por Luz do Sol de Richelle Mead, o conto foca em um personagem do mesmo mundo de Academia de Vampiros. Ainda não li nenhum livro da série, mas gostei bastante dos personagens apresentados no filme. Porém, não gostei do protagonista desse conto, Eric, nem dos casais que ele formou - um com a primeira namorada e posteriormente, com a protagonista Rhea. Aliás, ela foi a única personagem que gostei. No geral, achei que o conto será mais bem apressiado pelos fãs da saga VA, pois ele foi esquecível para mim.

O segundo conto, Ressuscita-me, é de Alyson Noël é o melhor. Fiquei bastante intrigado para descobrir o que os personagens eram - mesmo ficando implícito no conto, achei que aconteceria uma reviravolta que nem Alyson fez em Para Sempre. Apesar de não ter acontecido, o conto não perdeu seus méritos e gostei do final que foi dado, além de ter me identificado com Danika e Bram.

Em seguida temos Acima, de Kristin Cast. De todos, esse é o mais confuso. É escrito como um poema, mas o confuso é a história - e não o modo de escrita. Acho que o modo de escrita até se casou bem com o conto, uma forma de palavras soltas e desconexas. Não foi o melhor conto, mas a partir do encontro dos protagonistas, a história flui. Gostei bastante do final, achei bem coerente.

O quarto, Caçando Kat, de Kelley Armstrong, é o segundo melhor conto. Diferente dos outros, ele é todo contado em apenas um capítulo e é cheio de reviravoltas. Acredito que se a autora lançasse uma série baseada nele seria bem legal, pois toda a trama de vampiros perseguidos por uma tal de Edison Gruop, que sequestra e monitora crianças para transformá-las em vampiros geneticamente modificados. O trio de protagonistas são bem criados pela autora, e é impossível não torcer por eles.

O que encerra o livro é Lilith, de Francesca Lia-Block. Assim como o primeiro, foi bem chatinho. Principalmente a repetição com o nome do protagonista, Paul Michael. A autora insiste em escrever "Paul Michael" todas as vezes, em vez de apenas "Paul". E o personagem não ajuda, sendo tão chato quanto à outra protagonista, Lilith. O pior conto - e menor, graças a Deus - do livro, definitivamente.


No geral, achei apenas dois contos do livro bons - Ressuscita-me e Caçando Kat. Acima teve um final bem legal, mas a história foi muito desconectada e quase desisti do livro antes do tão encontro de Sol e Rheena. Já Luz do Sol e Lilith foram totalmente dispensáveis. No geral, assim como Formaturas Infernais, eu não recomendo - apenas os dois contos que gostei. Será que terei coragem para enfrentar Amores Infernais e Férias Infernais, depois de dois livros da saga serem quase duas bombas por completo? Vamos ver...

sexta-feira, 10 de abril de 2015

[Resenha] Sonhos - Alyson Noël

Autora: Alyson Noël
Editora: Leya
Páginas: 320
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: Fated

Daire Santos é uma adolescente de 16 anos, filha de uma maquiadora de Hollywood, que namora estrelas de cinema e viaja com a mãe por todo o mundo. Até que coisas estranhas começam a acontecer com ela: visões com corvos e pessoas brilhantes, o tempo que para de andar, sonhos com um belo menino de olhos azuis-gelo.

Os médicos acham que se trata de um caso psiquiátrico. Sua avó, curandeira respeitada na pequena cidade de Encantamento, Novo México, afirma que pode curá-la com suas ervas e poções. Sem alternativa, Daire vai para uma cidade perdida no meio do nada, longe da mãe, e com a avó que até então não conhecia.

O que parecia ser o fim, no entanto, revela-se o início de uma grande aventura: guiada pela avó, Daire descobre ser uma Buscadora de Almas, descendente de uma linhagem poderosa que, através dos tempos, vem garantindo o equilíbrio entre o bem e o mal tanto no nosso mundo quanto em outros mundos e outras dimensões.

Resenha:

Conheça o seu destino.

Eu sou grande fã da saga Os Imortais criada pela Alyson, então quando ela anunciou que começaria uma nova, fiquei bastante animado para conferir. Mas fui adiando a compra porque a letra da edição brasileira é muito pequena para o tamanho do livro e tinha medo da leitura ficar cansativa. Mas decidi arriscar e comprei o primeiro livro - os quatro já foram lançados pela Leya aqui no Brasil.

O tamanho da letra na diagramação foi um problema também, mas infelizmente, ele não está sozinho. Por mais que várias reviravoltas aconteçam nesse livro, a história não me prendeu muito e acho que poucas coisas foram reveladas nesse primeiro livro, deixando no ar a sensação de enrolação pelo fato dele ser bem grande para um livro inicial. Mas a Alyson merece méritos por ter criado uma história inovadora - mesmo que tenha me confundido em alguns momentos -, afinal eu pelo menos nunca vi um livro em que a protagonista seja uma Buscadora de Almas (Soul Seeker).

Outro ponto negativo foram as relações entre os personagens. O romance de Daire e Dace não foi aprofundado e ficou muito raso. Cade teve muito mais importância nesse livro que o irmão - e se eu disser que shippei ele com a Daire, vocês vão querer me matar? Inclusive, também achei que a Alyson poderia ter se aprofundado nos irmãos, mostrando mais dessa rivalidade dos dois. Vi muita gente reclamando da "falta de criatividade" da autora em ter criado esse clichê de irmãos gêmeos e um bom e o outro mau, mas eu simplesmente adoro tudo que envolva gêmeos, então adorei essa parte, principalmente os nomes onde as letras são apenas reposicionadas.

Também não me identifiquei muito com a Daire, mas gostei do relacionamento dela com a avó. Acho que foi o único bem estruturado do livro, pois os outros foram extremamente rasos. E a mitologia envolvendo os animais foi bem interessante, assim como a explicação sobre a criação de Cade e Dace - perceberam que "Cade" parece um nome forte, enquanto "Dace" uma coisa mais leve? Percebi isso durante o livro e tenho certeza que foi intenção da Alyson fazer os leitores notarem isso.

Mesmo com mais pontos negativos do que positivos, darei uma chance para a série e lerei Ecos. Espero gostar, até porque ficou no ar uma promessa de desenvolvimento maior para os irmãos no próximo volume. Por fim, só acho que a Leya poderia ter traduzido o livro literalmente (Predestinada), teria uma apelação maior do que Sonhos.

[Resenha] A Última Música - Nicholas Sparks

Autor: Nicholas Sparks
Editora: Novo Conceito
Páginas: 383
Classificação: 4.5/5 estrelas
Título Original: The Last Song

Aos dezessete anos, Verônica Miller, ou simplesmente Ronnie, vê sua vida virada de cabeça para baixo, quando seus pais se divorciaram e seu pai decide ir morar na praia de Wrightsville, na Carolina do Norte. Três anos depois, ela continua magoada e distante dos pais, particularmente do pai. Entretanto, sua mãe decide que seria melhor para os filhos passarem as férias de verão com ele.

O pai de Ronnie, ex-pianista, vive uma vida tranquila na cidade costeira, absorto na criação de uma obra de arte que será a peça central da igreja local. Ressentida e revoltada, Ronnie rejeita toda e qualquer tentativa de aproximação dele e ameaça voltar para Nova York antes do verão acabar. É quando Ronnie conhece Will, o garoto mais popular da cidade, e conforme vai baixando a guarda começa a apaixonar-se profundamente por ele, abrindo-se para uma nova experiência que lhe proporcionará uma imensa felicidade – e dor – jamais sentida.

Resenha:

"A vida é muito parecida com uma canção. No início há mistério, no final há confirmação, mas é no meio onde todas as emoções residem valer a pena."

Por ser fã da Miley Cyrus, eu vi o filme muito antes de ler o livro - o filme foi lançado em 2010, quando eu ainda não tinha o hábito de ler livros, principalmente os grandes -, então quando comecei A Última Música, eu já sabia a reviravolta principal que aconteceria. Isso tirou um pouco da graça do livro, mas desde o início da leitura, eu estava interessado para ver como a relação de Ronnie e Steve seria trabalhada, afinal há mais tempo aqui para isso do que no longa.

Mesmo não tendo superado Querido John, A Última Música também foi um livro muito bom do Nicholas. Quem já leu livros - ou viu os filmes - do autor, sabe que ele constrói muito bem os personagens, com defeitos e acertos; além de trabalhar os relacionamentos deles entre si. Mas o mais interessante nesse livro é que o foco principal não é o romance de Ronnie e Will, mas sim o seu relacionamento com o pai.

É muito bom ver como o relacionamento dos dois vai melhorando aos longos do capítulo e de como Steven faz as coisas para ver a felicidade dos filhos. Um das minhas cenas favoritas é a quando Ronnie reclama sobre o pai tocar piano e ele "resolve" o problema. Não é a toa que Ronnie sente-se culpada e nós queremos estapeá-la por fazer isso com o pai, mesmo que não fosse sua intenção.

Mas não é pela relação dela com o pai ser o foco, que a sua com Will fica de lado. As cenas dos dois são basicamente as mesmas do filme, mas com algumas adicionais. Shippei no filme, shippei aqui. Gostei também do final alternativo que os dois tiveram aqui, que foi mil vezes melhor do que o do filme. Achei também bem interessante a narrativa ser dividida entre quatro personagens - Ronnie, Will, Steve e Marcus. Adoro ver a perspectiva de outras pessoas além da do protagonista.

O único defeito do livro foi o amigo mala de Will - Scott, se não me engano. Marcus é o grande vilão da história, mas esse conseguiu ser mais irritante do que ele. Adorava que o Will não abaixava a cabeça para ele só por ser seu amigo, sempre o confrontando quando ele metia-se demais em sua vida e/ou falava mal de Ronnie. Tirando esse personagem totalmente irritante, gostei muito da leitura e recomendo para quem gosta de romances ou dos livros do Nicholas.

quinta-feira, 2 de abril de 2015

Série "After" terá novas capas!


A Editora Paralela acaba de anunciar que a série "After" ganhará novas capas. As capas de After e After - Depois da Verdade, os dois primeiros volumes, já foram divulgados e vemos alusões à Tessa e Hardin, com um casal nas mesmas.

Além dos dois livros, a série ainda ganhará mais três livros.

Mas se você já possui os livros com as capas antigas, basta enviar um e-mail para redes.sociais@companhiadasletras.com.br, colocando no assunto "AFTER - NOVAS CAPAS", e assim você vai saber como conseguir jackets com as novas capas.

quarta-feira, 1 de abril de 2015

Novo livro de contos de "A Seleção" ganha título!

Em janeiro, Kiera Cass anunciou o cancelamento de Contos da Seleção 2, divulgando que o livro seria relançado um pouco mais tarde, pois ganharam mais materias adicionais, como três cenas pela visão de Celeste e um novo epílogo de A Escolha.

Pois o novo título do livro acaba de ser divulgado: Happily Ever After: A Companion to the Selection Series. O livro conterá:

- Versão estendida de O Príncipe;

- O Guarda;

- A Rainha;

- A Favorita;

- Três cenas com Celeste (ainda sem nome);

- O segundo epílogo de A Escolha;

- Materiais extras;

- Versão ILUSTRADA.

(*Créditos ao blog Recanto da Mi.)


A edição americana será lançada dia 6 de Outubro de 2015, mas a Seguinte ainda não anunciou quando o livro chegará no Brasil. Vale lembrar que além de Happily Ever After e A Herdeira - que chegará simultaneamente em Maio no Brasil e nos EUA -, ainda está previsto mais um livro ainda sem nome e data definidos.

Leituras do Mês de Março + Book Haul

Esse mês aproveitei para ver algumas séries que eu estava há bastante tempo sem ver, e por isso não foi um mês muito bom. No total, eu só li livros:


No começo do mês, terminei Reunião Sombria, o quarto livro de Diários do Vampiro. O livro não foi tão bom quanto os outros, mas foi uma boa leitura. Segue a resenha.

Depois comecei O Jogo da Mentira, da Sara Shepard. Adorei a leitura, foi bem rápida e não vejo a hora de ler as continuações. Para saber mais da minha opinião, basta ler a resenha.

Com o fim de O Jogo da Mentira, comecei a ler A Última Música. Por ser fã da Miley, eu já havia visto o filme em 2010, então sabia de quase toda a história. Mas foi um boa leitura e em breve, a resenha estará aqui no blog.

Depois resolvi dar uma chance para Beijos Infernais, da coleção de contos Infernais. Eu não havia gostado de metade de Formaturas Infernais, e deste estava gostando menos ainda, então parei a leitura no final do segundo conto e ela vai ficar para depois - e a resenha também.

Decidi então dar uma chance para Sonhos, da Alyson Noël, pois vinha adiando a leitura há meses pelo fato da letra minúscula da edição brasileira. Não foi um dos melhores livros e não me conquistou muito - tanto que só terminei em abril -, mas darei uma chance para a série. Em breve, sai a resenha

Book Haul

(desculpem não bater fotos dos livros, é que eu tava com uma preguiçaaa hahaha)

Esse mês comprei apenas três livros pois estou com vários para ler. Foram Conquista, Hannah Montana e Eu e A Herdeira, que está na pré-venda ainda, então não estou com ele aqui. Conquista e Hannah Montana e Eu provavelmente serão minhas próximas leituras para Abril.