terça-feira, 28 de fevereiro de 2017

Aniversário de 2 anos do blog!


Há dois anos atrás, numa manhã chuvosa do dia 28 de fevereiro de 2015, eu enfim comecei a criar o Crush For Books depois um bom tempo pensando se realmente iria enfrentar a missão de comandar um segundo blog - afinal, o primeiro acabou me cansando e por isso o finalizei.

Mas decidi que iria e fiz! Passei o dia todo modificando templates, criando arte (bem pobrinha, pois ironicamente o Photoshop é um dos programas que eu tenho mais preguiça de aprender a usar), enfim... E ás 21:50, o primeiro post foi publicado: uma resenha de A Culpa é das Estrelas que eu havia escrito e postado no meu antigo blog, em 2014.

De lá para cá, criei o Instagram do blog e também faço posts regularmente lá - então se você ainda não segue, está mais do que na hora! E essa data merece mais do que ser comemorada, por isso, em breve terá sorteio!! Ainda não posso dizer qual livro nem dar uma data específica porque esses últimos dias de Fevereiro estão sendo extremamente corridos para mim, mas se tudo der certo, o sorteio acontecerá ainda em Março!

E no mais, obrigado por acompanharem o blog. Vocês são incríveis!

domingo, 26 de fevereiro de 2017

[Resenha] Extras - Scott Westerfeld

Autor: Scott Westerfeld
Editora: Galera Record
Páginas: 416
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: Extras

No quarto livro da série, A Era da Perfeição ficou no passado. A libertação promovida graças aos esforços de Tally Youngblood deu fim a uma cultura onde a beleza e as modificações cerebrais, que transformavam todos em avoados, eram a base do sistema. Nesse novo mundo onde Aya Fuse — não apenas uma Feia de 15 anos, mas uma Extra — tenta sobreviver, existe uma coisa muito mais importante e poderosa do que a beleza: a fama.

Ocupando o 451.611º lugar em uma tabela que mede a popularidade das pessoas, Aya é só uma Extra nesse complexo sistema social. Mas a descoberta de um grupo de misteriosas meninas que se arriscam a surfar em trens magnéticos pode ser a oportunidade perfeita para alcançar o seu lugar no topo. Uma matéria tão boa que irá despertar o interesse de todo mundo, incluindo alguém há muito desaparecido.

Resenha:

Ser popular é a nova regra.

Finalmente, cheguei ao último livro da série! Não é segredo para ninguém o quanto me decepcionei com a saga, pois os livros sempre eram aquém do que eu esperava. Ainda assim, segui firme até o fim. Porém, confesso, que estava com medo desse volume. Se os anteriores, que possuem um grupo que o defende, foram tão decepcionantes; imagina um volume que é criticado por praticamente todos que já o leram?

Diferente dos três primeiros volumes, Extras acompanha uma nova protagonista, Aya. A personalidade da garota me lembrou bastante a de Tally no primeiro livro, mas felizmente Aya não é tão chata como a primeira. Em determinados momentos, ela demonstrou sua força e lutou pelo que acreditava. Mesmo que isso tenha sido impulsivo em alguns momentos, foi positivo para mostrar que ela não era tão influenciável como Tally no começo. Além de Aya, temos seu irmão, amigo e interesse amoroso, que apesar de não serem personagens ruins, também não fazem tanta diferença. E, claro, temos o retorno de rostos já conhecidos dos livros anteriores. Apesar de todos estarem mudados, ainda consegui reconhecer suas essências, o que foi positivo.

quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

[Crítica] Shadowhunters - 2x07: How Are Thou Fallen


Beijo na boca é coisa do passado. A moda agora é...

Review:
(Spoilers Abaixo)

Que episódio bom foi esse, pessoal?! Teve casal elevando o nível da relação, salvação de anjo... Coincidentemente, How Are Thou Fallen foi exibido no Dia dos Namorados dos EUA, então talvez esse seja o motivo de todos os acontecimentos. Mas chega de suposições e vamos ao que interessa!

Começando por Jace, que quase me fez soltar fogos por enfim ser mais parecido com o personagem nos livros. Essa semana ele destilou sarcasmo para todos os lados e até ajudou Simon a mudar seu jeito de agir com as garotas - por mais que no fundo estivesse tirando sarro da cara do garoto, algo que o Jace dos livros faria sem pensar duas vezes. E foi por meio do personagem que tivemos a primeira scene sex um pouco mais explícita. Mas acalmem-se, pois ainda estamos na Freeform, e não na HBO. E foi só descobrir que Clary estava em perigo, que essa pose de "i really don't care" sumiu rapidinho e ele correu com Luke para salvá-la.

Junto à little sister, Jace resgatou Ithuriel das mãos de Valentine e, como gratidão, o anjo mostrou aos dois que um mal maior ainda está por vir, e é quase óbvio que é Sebastian, um personagem bastante importante para o plot principal da série. Mas enquanto ele não chega, temos que nos contentar com Valentine, que nesse episódio estava todo possuído pelo descaramento de sempre, quando chamou Luke de parabatai ou quando revelou a Cleophas que sua intenção é apenas ter poder no mundo dos Shadowhunters. Finalmente essa tonta levou esses tapas na cara para ver se acorda para a realidade, né?! Porque tá pra nascer mulher mais burra que essa. Sorte da Clary, que percebeu as reais intenções dela ao ser chamada de "Clarissa" - apenas Valentine se refere à filha pelo seu nome real.

quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

[Crítica] Shadowhunters - 2x05/06: Dust and Shadows / Iron Sisters


Pomadinha do orgasmo, um oferecimento TopTherm.

Review:
(Spoilers Abaixo)

Primeiramente, Fora Temer desculpas por não ter tido review semana passada. Realmente não tive tempo de escrevê-la. Então como será uma crítica dupla, vamos logo começar pois teremos muito o que comentar.

Dust and Shadows foi quase um episódio filler, que introduziu futuras tramas e apenas o enterro de Jocelyn foi algo que já vinhamos acompanhando. A cena foi muito bem feita e a produção está de parabéns. Acredito que no futuro, os roteiristas irão trazê-la de volta de alguma forma, mas por enquanto ela permanece morta. E isso, claro, afetou todos os personagens de alguma forma. Clary, óbvio, foi a que mais sofreu e ao ir pedir ajuda à uma feiticeira para trazer a mãe de volta, acabou quase virando uma nova grávida de Taubaté, já que a feiticeira queria usá-la para gerar um bebê com sangue de demônio. E foi tentando escapar que a personagem acabou descobrindo um dom que nenhum outro Shadowhunter tem: criar runas. Achei a reação dela e de Jace bem negativa, parecia apenas algo comum que qualquer outro Shadowhunter consegue fazer - no filme, por exemplo, Clary passa alguns segundos observando a própria mão e perguntando-se como fez isso.

Luke também foi outro afetado com a morte de Jocelyn e o vimos sem controle na floresta, já que Jocelyn era sua "âncora". Por pouco, ele não matou pessoas inocentes, graças à Simon e Maia, que o trouxeram de volta. Foi uma cena fofa, principalmente quando Simon revelou que foi Luke que o ensinou a se barbear, mostrando que ele foi um pai não só para Clary, como para o garoto. Simon ainda se meteu em uma tremenda confusão, ao ser flagrado pela mãe bebendo o sangue de um rato. E como ele é muito novo nessa condição, coube à Raphael hipnotizar Elaine. Dormi? Sim, pois vocês sabem o quanto Raphael ainda não me desce. Então, next!

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2017

[Resenha] Exclusivo - Kate Brian

Autora: Kate Brian
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Classificação: 2.5/5 estrelas
Título Original: Private

Reed é a garota nova da vez na Academia Easton. Bolsista, ela acredita que será muito difícil se adaptar ao colégio, que reúne jovens ricos e sofisticados. Mas tudo muda quando ela conhece as Meninas do Alojamento Billings.

As mais populares e belas do campus, elas podem representar o passe para tudo que um colégio particular e exclusivo tem a oferecer: festas às escondidas, garotos lindos, roupas de grife... e segredos terríveis. Reed terá de pesar até onde está disposta a ir em nome da popularidade.

Resenha:

Tradição, Honra, Excelência... Segredos.

Um dia, comprando alguns livros no Estante Virtual, faltava certo valor para que eu conseguisse frete grátis para minha compra e me deparei com Exclusivo. Até então, nunca havia ouvido falar sobre a série, mas fui pesquisar e a história me pareceu ser um suspense com ares de Pretty Little Liars, por isso decidi incluí-lo no carrinho. Infelizmente, ao finalizá-lo, vi o quão estava errado.

Reed é uma das protagonistas mais chatas que eu já conheci, de verdade, e isso foi extremamente decepcionante, pois o começo nos faz torcer por ela. Mas com o passar dos acontecimentos, vemos o quanto ela é uma garota sem personalidade, por aceitar passar por inúmeras situações humilhantes. E o pior é que esse comportamento não tem nenhum sentido, afinal os motivos das garotas do Billings serem tão populares em nenhum momento nos convencem que elas são realmente "únicas". Noelle, o líder do grupo, é a única que ainda desperta curiosidade mas a cada capítulo a personagem demonstra que é apenas mimada e mesquinha - com exceção de uma cena. E o mesmo acontece com as demais integrantes. Já os personagens masculinos são apenas figurantes e Thomas é o único que ganha certo destaque.