domingo, 20 de setembro de 2015

[Resenha] Férias Infernais - Diversas Autoras

Autoras: Cassandra Clare, Claudia Gray, Libba Bray, Sarah Mlynowski e Maureen Johnson
Editora: Galera Record
Páginas: 272
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Vacations From Hell

Mais uma vez, cinco grandes autoras se reúnem para contar histórias sobrenaturais... de férias que não se saíram muito como o planejado! Acham perder a bagagem um grande problema? A viagem dos seus sonhos pode se tornar um pesadelo! Imagine ter de dividir os aposentos com uma bruxa rancorosa. E queimaduras de sol podem até ser ruins, mas nada se comparadas a uma maldição... Sombra e água fresca? Que nada. Todo mundo sabe que quando adolescentes saem de férias estão mesmo à procura de aventuras inesquecíveis. Mas é preciso tomar cuidado com o que se deseja. Estes cinco contos sobrenaturais repletos de terror, vingança e maldições vão fazer você pensar duas vezes antes de escolher o próximo destino.

Resenha:

A viagem dos seus sonhos pode se tornar um pesadelo.

Férias Infernais é o quarto volume da coleção de contos infernais, composta por Formaturas InfernaisAmores Infernais e Beijos Infernais. Quem já leu minhas resenhas dos livros anteriores, sabe que minha relação com a série não é uma das melhores, mas sempre leio os lançamentos pois são contos de diversos autores, então sempre existe a chance de ter alguns realmente bons.

O conto inicial, Cruzeiro, da Sarah Mlynowski, abre o livro com chave de ouro e é o melhor, na minha opinião. Os personagens são cativantes e o suspense é presente do início ao fim. Ele conta a história de duas amigas que vão a um cruzeiro e no mesmo, pessoas começam a desaparecer enquanto a imprensa começa a colocar a culpa pelos desaparecimentos em vampiros. Pelo fato do gênero Terror/Suspense ser o meu favorito, eu já sabia que nada era o que realmente parecia ser; mas ainda assim me surpreendi com o final. O único ponto negativo foi justamente a revelação, já que antes dela há uma cena que "impossibilitaria" tal conclusão.

O segundo conto e Não gosto da sua namorada, de Claudia Gray, e conta a história de Cecily, uma bruxa que todo ano sofre nas mãos de sua maior inimiga Kathleen durante as férias que as duas passam com suas famílias. E para piorar, Kathleen começa a namorar um garoto e Cecily se interessa por ele. De todos, esse é o conto mais "bobinho", afinal nada de tão grave acontece. E a protagonista também não é lá uma personagem carismática. E com o final do mesmo, me perguntei porque a mesma nunca tentou desmascarar Kathleen antes se é tão esperta como se mostrou durante a história.

Logo em seguida temos A Lei dos Suspeitos, de Maureen Johnson, e foi graças a ele que o conto anterior se salvou de ganhar o título de mais chato do livro. Ele acompanha as irmãs Charlie e Marylou que se vêem presas em um casa de férias do primo, enquanto descobrem que o vizinho é um cara bem estranho. Além de demorar a engatar, o conto é um pouco confuso em certos pontos e com o seu fim, ficamos sem respostas para algumas perguntas - como o porquê do primo das irmãs demorar tanto a chegar. E juntando com tudo isso, os personagens não são cativantes e não temi pela vida de nenhum, para falar a verdade.

O quarto conto é A Casa dos Espelhos e o mais esperado pelos leitores, afinal foi escrito pela Cassandra Clare. Eu ainda não li nada dela - só vi a adaptação de Cidade dos Ossos e agora quero ler os livros - mas esse também era o que eu mais queria ler pois acho o título mais chamativo da coleção. O conto segue Violet e Evan, adolescentes que tornam-se "irmãos" após o casamento de seus pais e são obrigados a viajar com eles para uma casa de praia. Lá, eles conhecem a vizinha e Violet logo percebe que ela não é tão inocente como aparenta. Esse conto não é tão original, mas gostei bastante dos personagens e o final me fez amar Violet mais ainda. PS: se algum dia esses contos virarem série de TV/filme, Evan Peters e Taissa Farmiga TERÃO que ser Evan e Violet, haha (entendedores entenderão!).

O último é Nenhum Lugar é Seguro, de Libba Bray, que fecha a coleção com chave de ouro. A história acompanha a viagem de quatro amigos que ao chegarem em Necuratul, descobrem que a cidade é mais sombria do que aparenta. Esse conto é o segundo melhor, perdendo apenas para o primeiro. É fácil imaginá-lo como um filme e não ficaria surpreso se ele ganhasse uma adaptação. Mas assim como o de Cruzeiro, o final pode ser descoberto bem antes das revelações pelos leitores mais especializados com o gênero - por mais que ela tenha me surpreendido em certos pontos. Os personagens também são bem desenvolvidos, o que faz o leitor se identificar e torcer por suas vidas.

No geral, eu gostei desse volume. Assim como em Amores Infernais, curti a maioria dos contos e destaco Cruzeiro, Nenhum Lugar é Seguro e A Casa dos Espelhos. Como esse é, até agora, o último livro da coleção, ela está finalizada. Mas se novos volumes cheguem - o que é quase certo -, estarei aqui esperando.

domingo, 13 de setembro de 2015

[Resenha] 365 Dias do Ano: Staying Strong - Demi Lovato

Autora: Demi Lovato
Editora: Best Seller
Páginas: 409
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Staying Strong

Para a mega estrela Demi Lovato, a vida tem sido uma jornada — de conquistas impressionantes e perdas arrebatadoras. Cantora recordista de vendas, apresentadora de TV e atriz, ela enfrentou batalhas com a depressão e a dependência, tudo isso sem desistir de encontrar a felicidade e a si mesma. Demi compartilhou sua trajetória na mídia, nas letras de suas músicas e para seus 17 milhões de seguidores no Twitter. Esses tweets resultaram neste livro, uma obra em 365 insights honestos, esperançosos e impactantes. Aqui estão, nas próprias palavras de Demi, as citações que a inspiraram, assim como suas reflexões pessoais e seus objetivos. Demi Lovato — 365 dias do ano é para todos, em qualquer lugar, que precisem de conforto, inspiração e um motivo a cada dia para serem fortes em sua própria trajetória.

Resenha:

"Seja forte, seja corajoso, ame muito e de verdade, e você não terá nada a perder." - Demi Lovato. (pág. 9)

Lembro-me que fiquei muito animado quando Demi anunciou que escreveria esse livro. Eu sempre gostei da cantora desde a era Disney, e minha admiração por ela só cresceu quando ela divulgou seus problemas e aceitou ir para uma clínica de reabilitação - quando muitos artistas preferem esconder por medo de perder chances. Ninguém sabia o tema mas a especulação de ser uma biografia sobre esses momentos era a mais forte. Mas quando o livro foi lançado, vimos que era algo mais.

Demi usa, sim, os momentos difíceis que passou na carreira mas em nenhum momento se faz de vítima. Ela sempre admite seus erros e nunca se faz ser o foco do livro. O seu objetivo com a obra é mostrar que, assim como ela, pessoas com problemas como bullying e auto-mutilação também podem passar por isso e curar-se. Os pensamentos, sejam da própria ou citações de outras pessoas como Miley Cyrus, Marilyn Monroe e Buda são presentes para cada dia do ano com um comentário sobre o que Demi entendeu de determinada frase ou pensamento, com um objetivo a ser comprido após a leitura.

Mesmo que você não passe por tais problemas, a leitura desse livro é benéfica. Existem vários pensamentos lindos e marcantes. Perdi as contas de quantas citações destaquei e que me tocaram e 365 Dias do Ano é o tipo de livro que você pode sempre manter por perto para reler sempre que precisar de uma frase ou de uma motivação. Na prática, pode ser difícil não sentirmos raiva ou ódio de alguma coisa ou pessoa; porém se conseguíssemos viver sem esses tipos de sentimentos, com certeza seríamos pessoas melhores. E essa é uma das propostas do livro: rever seus conceitos para saber se você está de bom consigo mesmo.

O único problema que encontrei é que alguns pensamentos se contradizem, mas nada que seja algo grave, afinal o livro é para ser lido a cada dia do ano - apesar de quase todo os leitores terem lido todo de uma vez, óbvio. Seja você adolescente ou adulto e passe ou não por tais problemas, esse livro vai te tocar em algum momento. E a diagramação só deixou tudo mais bem feito. Observem cada imagem de pássaros antes de cada capítulo. A última confirma o que os leitores mais atentos começam a entender nos primeiros meses.

365 Dias do Ano - Staying Strong é um livro que indico para qualquer pessoa, sem nenhum receio. Com o fim da leitura, tive a certeza de vários valores que aplico na minha vida e convivio com outras pessoas. Para algumas pessoas pode parecer apenas um livro com palavras bonitas nos dias atuais que vivemos, mas podem acreditar, é muito mais do que isso. Se você tiver oportunidade, leia esse livro. Você não vai se arrepender!

sábado, 12 de setembro de 2015

[Resenha] Círculo Secreto: A Prisioneira - L. J. Smith

Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 240
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Secret Circle - The Captive

Cassie é chantageada por Faye para roubar o poderoso Crânio de Cristal, e, por acidente, as duas liberam uma força maligna, que Cassie acredita ser responsável por vários assassinatos que imitam os tortuosos atos dos julgamentos das bruxas de Salem. 

Enquanto isso, o Círculo chega à um ponto crucial na história, no qual deve ser escolhida uma nova líder, e, com Faye ameaçando revelar os segredos mais profundos de Cassie, pode significar desastre para todos os envolvidos.

Resenha:

Onde se esconde o verdadeiro mal?

Eu era viciado na série The Secret Circle e até hoje, não aceito que a CW cancelou a mesma com o fim da 1ª temporada. Mas como nada podia ser feito, o jeito era continuar a acompanhar a série pelos livros, mesmo sabendo que elas possuíam diferenças. Então, comprei o primeiro livro e com o fim do mesmo, só queria correr o mais rápido possível para a continuação. Coisa que só aconteceu quase um ano depois - li o primeiro em outubro de 2014 e o segundo só agora, em setembro de 2015.

Sem dúvidas, sou apaixonado por essa série seja nos livros ou na adaptação. Mesmo com todo esse tempo de diferenças entre as leituras, os acontecimentos de A Iniciação ainda estão frescos em minha mente, de modo que não precisei reler o livro para ler A Prisioneira. E que continuação! Esse livro é tão bom quanto o primeiro, a narrativa de L.J. Smith é maravilhosa. Ela também soube narrar muito bem sua trilogia inicial de Diários do Vampiro e em ambas, o ritmo é frenético. Você passa as páginas e quando se dá conta já está na metade ou até perto do final.

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

[Resenha] Diários do Vampiro - O Retorno: Almas Sombrias - L.J. Smith

Autora: L. J. Smith
Editora: Galera Record
Páginas: 448
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: The Vampire Diaries: The Return: Shadow Souls

Stefan foi capturado por espíritos demoníacos e está preso na Dimensão Sombria, onde rumores dizem que vampiros e demônios andam livremente, mas humanos são mantidos como escravos por seus mestres sobrenaturais.

Elena pede ajuda a Damon e, com Matt, vai até lá resgatar Stefan. O problema é que a tensão entre ela e Damon continua aumentando. Qual dos irmãos Salvatore Elena realmente quer?

PS: Esse é o 6º livro da série, então a resenha poderá ter spoilers dos anteriores.

Resenha:


Unidos por Stefan.

A cada livro, parece que Diários do Vampiro decai. Reunião Sombria não foi tão bom quanto os três primeiros e Anoitecer também teve vários defeitos, mas Almas Sombrias venceu os dois em disparada. Esse sexto livro é - até agora - o pior livro da série, na minha opinião. Quase nada funcionou nesse volume, o que deixou mais frustrado pois a autora disse em uma entrevista que esse é o seu preferido e isso me deixou mais esperançoso por uma melhoria em relação ao anterior.

A história desse volume é totalmente contraditória com a proposta da série e do próprio livro, que seria salvar Stefan da prisão Shi no Shi. Porém isso só ocorre nas dez últimas páginas, deixando as outras 435 (!) totalmente aleatória ao apresentar uma história sobre escravos (!!) que Elena e os outros salvam. Os "fangirls" da série irão dizer que esse plot serviu para que Elena encontrasse o objeto que precisava para salvar Stefan, mas várias páginas poderiam ter sido cortadas e deixariam o livro mais ágil.

Agora entendo porque em uma entrevista, L.J. Smith disse que a editora a pediu para escrever livros mais curtos. Os próprios viam que esse número de páginas era desnecessário. E se no livro anterior, o clima da série original estava se esvaindo, nesse ele se vai de vez. Não senti qualquer conexão com o clima original e a única coisa boa do livro anterior - que foram as possessão de Shinichi e Misao sobre os habitantes de Fell's Church - não tem qualquer importância aqui. São poucas cenas na cidade e em nenhuma vemos possessões, apenas conversas chatas entre Matt e Sra. Flowers.