segunda-feira, 2 de março de 2015

[Resenha] Destino - Ally Condie

Autora: Ally Condie
Editora: Suma de Letras
Páginas: 240
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Matched

Cassia tem absoluta confiança nas escolhas da Sociedade. Ter o destino definido pelo sistema é um preço pequeno a se pagar por uma vida tranquila e saudável. Ela acaba de completar 17 anos e seu grande dia chegou: o Banquete do Par, o jantar no qual será anunciado o nome de seu companheiro. Quando surge numa tela o rosto de seu melhor amigo, Xander - bonito, inteligente, atencioso, íntimo dela há anos -, tudo parece bom demais para ser verdade. Porém, quando a tela se apaga e volta a se acender, revelando um outro rosto, e se apaga de novo, o mundo de certezas absolutas que ela conhecia parece se desfazer debaixo de seus pés. Agora, Cassia vê a Sociedade com novos olhos e é tomada por um inédito desejo de escolher. Escolher entre Xander e o sensível Ky, entre a segurança e o risco, entre a perfeição e a paixão. Entre a ordem estabelecida e a promessa de um novo mundo.

Nota: Essa resenha foi escrita em novembro de 2014.

Resenha:

No futuro, a sociedade escolhe com quem você casa, onde trabalha, o que você come, quando você morre.

Um fator muito recorrente para mim ler ou comprar livros é a capa. Sim, eu julgo um livro pela capa - mas não quer dizer que todos livros que eu li foi por essa escolha, tá pessoal? Não me julguem! - e Destino, além de ter essa capa linda, ainda é uma distopia, então eu queria lê-lo o mais rápido possível. Vi muito gente elogiando a trilogia e o triângulo, mas ela não foi mil maravilhas para mim.

Primeiro que o triângulo aqui é inexistente, afinal fica claro que Cassia ama Ky - ela sente um carinho por Xander, ele é seu par, mas só. Na minha opinião, quando um autor joga um triângulo amoroso, ele tem que mostrar a incerteza do personagem central, deixar os Team apreensivos pela escolha, e a Ally não fez isso. Mas pelo menos o amor verdadeiro da Cassia é o Ky, meu personagem favorito. Ele é, sem dúvidas, o melhor personagem desse livro. Diferente da maioria dos livros adolescentes onde o protagonista masculino é rude e arrogante com a feminina e a anta cai de amores por ele, Ky é gente como a gente. Ele é calmo, educado, cuida da Cassia, etc. E toda a história por trás dele é muito bem construída. Fiquei extremamente feliz ao saber que Travessia é narrado por ele também, quem sabe assim, eu me identifique um pouco mais com a série.

Por outro lado, não consegui gostar da Cassia. Ela é muito bobinha, não questiona nada... Os únicos momentos que eu aturei a personagem foram suas cenas com Ky e seu avô, outro personagem-chave do livro. Já Xander, mesmo não sendo tão desenvolvido, também se mostrou um personagem correto e leal à Cassia. Mas não curti o fato de não haver nenhum embate entre ele e Ky - na verdade, eles são quase melhores amigos e o máximo que ocorre é uma provocação de adolescente por esportes e não pelo coração da protagonista. #Risos.

Porém, Ally merece elogios pela distopia que criou. A Sociedade, como é chamada, no início parece querer apenas o melhor para seus habitantes, mas só pelo fato de determinarem quando os cidadãos irão morrer, já mostra que ela não é um paraíso. Por ser o primeiro livro, não temos muitas ''torturas'' explícitas - tudo é implícito, mas o avô de Cassia deixa no ar que não confia na Sociedade -, e eu fiquei muito curioso para saber mais sobre ela, o que deve acontecer nos próximos volumes.

No geral, gostei do livro, mas achei a história mal desenvolvida em vários pontos, por isso não sei se recomendo ou não. Entretanto, sempre há chances de você gostar, pois ele é um típico 8 ou 80. E como estamos no primeiro volume, tudo pode mudar em Travessia e Conquista - até minha própria opinião sobre a saga. Ah, e antes de terminar, mais uma vez elogio as capas da trilogia, pois são todas lindas e condizentes com o que a trama de cada livro propõe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário