segunda-feira, 2 de março de 2015

[Resenha] Delírio - Lauren Oliver

Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 352
Classificação: 4.5/5 estrelas (Favorito no Skoob)
Título Original: Delirium

Muito tempo atrás, não se sabia que o amor é a pior de todas as doenças. Uma vez instalado na corrente sanguínea, não há como contê-lo. Agora a realidade é outra. A ciência já é capaz de erradicá-lo, e o governo obriga que todos os cidadãos sejam curados ao completar dezoito anos.

Lena Haloway está entre os jovens que esperam ansiosamente esse dia. Depois de curada, ela será encaminhada pelo governo para uma faculdade e um marido lhe será designado. Lena tem plena confiança de que as imposições das autoridades, como a intervenção cirúrgica, o toque de recolher e as patrulhas-surpresa pela cidade, existem para proteger as pessoas.

Faltando apenas algumas semanas para o tratamento, porém, o impensado acontece: Lena se apaixona. Os sintomas são bastante conhecidos, não há como se enganar — mas, depois de experimentá-los, ela ainda escolheria a cura?.

Nota: Essa resenha foi escrita em setembro de 2014.

Resenha:

E se o amor fosse uma doença?

Há tempos queria ler Delírio. A história central tinha me chamado muito atenção - afinal, quando pensaríamos que o amor é uma doença? -, e depois que a FOX anunciou a produção do Piloto com Emma Roberts e Daren Kagasoff, a vontade só triplicou. Amo e acompanho os dois desde Garota Mimada e The Secret Life of American Teenager, respectivamente. Enfim, o piloto foi recusado e eu quase enlouqueci tive correr para os livros, mas em pleno 2014 pude lê-los.

E após o fim do livro, não tenho do que reclamar. Sério. Tanto a ''doença'' quanto a química entre Lena e Alex são ótimos e bem trabalhados plots, principalmente esse amor. Apesar da extrema química entre Emma e Daren na série, pelo fato do primeiro livro ter sido todo resumido em um único episódio, foi uma coisa muito rápida; já no livro, não. Lauren cria toda uma tensão em volta do romance, onde temos a fase que Lena acha estar doente, a fase onde ela começa a ver que o governo não é tão bom assim com a população, e quando ela joga tudo para o alto por Alex.

A manipulação do governo sobre a delíria nervosia é bem persuasiva. Durante a leitura, é realmente possível pensar que o amor poderia ter corrido o risco de ser considerado uma doença nos tempos antigos. O governo cria e divulga entre a população um manual com sintomas, modos de prevenção etc. E trechos desse livro aparecem no início de cada capítulo. Seria legal se a Lauren criasse um bônus para os fãs com esse manual completo, como P.C. Cast fez em House o Night, e Cassandra Clare em Os Instrumentos Mortais.

Ainda sobre o governo, ele é muito mais violento aqui. Por exemplo, na cena da festa secreta: enquanto no Piloto, víamos os adolescentes correndo para não serem flagrados; no livro, eles são agredidos e mortos pelos policiais. Mas de todas as cenas envolvendo esse plot, destaco a do cão dos vizinhos de Lena (que não entrou no Piloto). O jeito como Lauren a narra é revoltante e até hoje, ela está viva em minha mente.

Não preciso nem dizer que eu recomendo o livro, né? Corram para ler e shippem Lenalex, obrigado de nada! E se você quiser saber mais sobre o Piloto, aqui tem a crítica do mesmo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário