domingo, 1 de março de 2015

[Resenha] Estrela da Noite - Alyson Noël

Autora: Alyson Noël
Editora: Intrínseca
Páginas: 248
Classificação: 3.5/5 estrelas
Título Original: Night Star

Nota: Essa resenha foi escrita em abril de 2014 e pode conter spoilers do primeirosegundoterceiro e quarto livro.

Certa de que Ever é responsável pela morte de Roman, Haven está determinada a destruí-la. Seu primeiro passo é separá-la de Damen, e, para isso, conta com a arma ideal: um segredo terrível sobre suas vidas passadas, que lançará uma nova luz sobre o relacionamento de Ever e Jude. Obrigada a enfrentar seus maiores medos com relação ao companheiro que escolheu para a eternidade, Ever é lançada em um combate mortal contra Haven, que poderá significar a destruição de todos. É chegado o momento de se questionar: para sobreviver, ela seria mesmo capaz de condenar Haven à escuridão de Shadowland? E será que todo o seu futuro com Damen poderia mesmo depender de uma revelação do passado?

Resenha:

"Contemplei o coitado... o desgraçado monstro que eu havia criado." - Mary Shelley - Frankenstein.

Muitos podem ter desistido de Os Imortais nos primeiros livros, mas eu continuei porque mesmo com todos os altos e baixos, eu gosto da história. Não vou mentir, me afastei da saga e demorei quase um ano para ler Estrela da Noite depois de Chama Negra, mas foi uma demora natural, alguns livros me chamavam mais do que esse. Mas não desisti, li e aqui está a resenha.

Com o fim da leitura, posso dizer que me arrependi de demorar a ler Estrela da Noite, pois ele conseguiu superar seu antecessor de várias maneiras. Não sei se é porque já estamos perto do fim e ela tem que mudar, mas a Alyson começou a criar uma nova Ever. Depois de tantas burradas, infantilidades e tudo que nos fez criar aversão a personagem, ela está se mostrando madura. Ela erra? Sim, mas qual ser humano não erra? Essa nova Ever é, sem dúvidas, muito melhor da que conhecemos nos livros passados e isso é ponto extramente positivo. Já Damen também foi suportável. Ainda não caio de amores por ele, como vocês podem perceber...

Jude, por outro lado, continua um bom personagem e todas suas cenas com Ever nesse capítulo são ótimas. Sem dúvidas, ele foi um dos melhores personagens criados pela Alyson. Miles continua preservado, ou seja, não virou alguém chato. Ele dá umas sambadas aqui e ali, e por isso não tem como não gostar dele. Roman não está presente por motivos óbvios, então quem assume posição de vilão da vez é Haven, que culpa Ever pela morte do namorado. Nunca caí de amores pela personagem e essa tentativa dela de ser uma vilã foi por água abaixo. Ela tentou ser cretina e sarcástica, mas não passou de uma menininha que queria a atenção que nunca teve e viciada no Elixir.

Sem contar nas briguinhas constantes das duas. Era indiretas, piadas, mas socos e cabelos voando que é bom nada. Alyson mirou em Meninas Malvadas, mas acertou Meninas Malvadas 2. A única realmente decente foi a briga final, pois até a anterior foi meio sem sentido. Spoiler a seguir (se quiser saber, passe o mouse sobre): O que mandava a alma do imortal para Shadowland era o golpe no chacra fraco. E quando Ever é atingida em seu chacra e deveria morrer, ela volta a vida pois supera seu chacra fraco antes de chegar até Shadowland. Tipo, oi? Foi super sem sentido isso da Alyson, afinal todos sabem que Ever não pode morrer.

Por fim, mas não menos importante, o grande mistério do passado do triângulo Damen/Ever/Jude é revelado aqui e, sinceramente, é dispensável. Alyson conseguiu prender o leitor em volta desse mistério por boa parte do livro, mas quando ele é revelado é algo tão bobo que não tem como não se sentir enganado. E já que falamos em passado, gostei bastante de uma cena onde a Ever vê uma vida passada dela, e podemos reconhecer as personalidades dos personagens que amamos (ou odiamos) nas pessoas do passado da protagonista.

Outro ponto positivo é que a Alyson dominou muito o misticismo durante a saga. As magias apresentadas aqui são tão boas quanto as apresentadas nos livros passados. No geral, Estrela da Noite foi bom. Teve seus erros? Teve, mas a cota de acertos também é positiva. E o cliffhanger que a Alyson jogou no final mostrou o quanto a autora sabe trabalhar com esses finais que nos deixa sedentos pelo próximo volume. Só falta mais um galera, stay strong!

Nenhum comentário:

Postar um comentário