sexta-feira, 13 de março de 2015

[Resenha] A Elite - Kiera Cass

Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 360
Classificação: 4/5 estrelas (Favorito no Skoob)
Título Original: The Elite

A Seleção começou com 35 garotas. Agora restam apenas seis, e a competição para ganhar o coração do príncipe Maxon está acirrada como nunca. Só uma se casará com o príncipe Maxon e será coroada princesa de Illéa. Quanto mais America se aproxima da coroa, mais se sente confusa. Os momentos que passa com Maxon parecem um conto de fadas. Quando ela está com Maxon, é arrebatada por esse novo romance de tirar o fôlego, e não consegue se imaginar com mais ninguém. Mas sempre que vê seu ex-namorado Aspen no palácio, trabalhando como guarda e se esforçando para protegê-la, ela sente que é nele que está o seu conforto, dominada pelas memórias da vida que eles planejavam ter juntos.

America precisa de mais tempo. Mas, enquanto ela está às voltas com o seu futuro, perdida em sua indecisão, o resto da Elite sabe exatamente o que quer — e ela está prestes a perder sua chance de escolher. E justo quando America tem certeza de que fez sua escolha, uma perda devastadora faz com que suas dúvidas retornem. E enquanto ela está se esforçando para decidir seu futuro, rebeldes violentos, determinados a derrubar a monarquia, estão se fortalecendo — e seus planos podem destruir as chances de qualquer final feliz.

Nota: Essa resenha foi escrita em Junho de 2014 e pode contar spoilers do primeiro livro.

Resenha:

Seis garotas e uma coroa.

Tive a sorte de ter comprado os dois primeiros livros juntos, então assim que terminei A Seleção, logo comecei A Elite. Esse livro é bastante odiado/criticado por quem já leu, principalmente pela indecisão da America ou por acharem que ele podia ter sido incluído em A Seleção ou A Escolha.

É realmente meio chato essa parte da história, mas eu aprendi a dividir a trilogia A Seleção em três fases: em A Seleção, America ama Aspen e começa a conhecer Maxon; nesse volume, ela começa a se apaixonar pelo príncipe, mas ainda gosta do ex; e em A Escolha, ela tem a certeza de seus sentimentos e decide lutar por quem realmente ama. Por isso, não vejo razão para o livro ser dividido entre o primeiro e terceiro se ele aborda justamente essa segunda fase da vida da protagonista.

Sim, volto a afirmar que é um livro meio enrolado, mas isso não tira a graça de várias sequências que acontecem em A Elite, principalmente o açoitamento de Marlee, que foi o ponto alto do livro. Essa cena é simplesmente ótima e o desespero de America para ajudar a amiga só nos mostra o quanto a amizade delas é verdadeira e que America é fiel à ela. E olha que eu fiquei todo o primeiro livro pensando que aconteceria uma reviravolta para provar que a Marlee estava fingindo essa amizade. Graças a Deus, isso não aconteceu.

Inclusive, esse é outro ponto que vale ressaltar: mesmo que o foco do livro seja a indecisão de America, A Elite tem muito mais ação do que A Seleção, ou seja, a Kiera começa a focar na distopia que todos reclamaram - com razão - que faltou no primeiro volume. Foi muito bom começa a descobrir os segredos obscuros de como Illéa surgiu e ver mais dos famosos Nortistas e Sulistas. Esses dois plots deverão ter mais destaque no último livro da trilogia, afinal será o tudo ou nada.

Os demais personagens também evoluem positivamente, principalmente Maxon. Foi muito bom ver que ele não é tão banana quanto eu achava, achei interessante a Kiera mostrar que ele também tem suas falhas e não só qualidades. Fora America e Marlee, as únicas selecionadas que ganham um maior destaque são Kriss e Celeste, principalmente a primeira que ganha uma trama para chamar de sua. Mas Celeste também mostra ao que veio e porque, mesmo sendo uma víbora, ganhou os nossos corações. Já Aspen continua uma incógnita: não o odeio, mas também não gosto dele e o acho um chato na maior parte do tempo.

Por fim, a escrita da Kiera continua maravilhosa. O mundo e situações que o povo de Illéa passam nos envolvem de um jeito que, quando vemos, já lemos várias e várias páginas, e isso é outro ponto positivo: mesmo que a história dessa indecisão de America seja meio chatinha, o livro não perde o ritmo. E a diagramação perfeita da Seguinte sem nenhum erro só deixa tudo melhor. Se você gostou de A Seleção, corre e leia A Elite!

Nenhum comentário:

Postar um comentário