sábado, 9 de maio de 2020

[Resenha] A Prometida - Kiera Cass

Autora: Kiera Cass
Editora: Seguinte
Páginas: 344
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Betrothed

Quando o rei Jameson se declara para a Lady Hollis Brite, ela fica radiante. Afinal, a jovem cresceu no castelo de Keresken, competindo com as outras damas da nobreza pela atenção do rei, e agora finalmente poderá provar seu valor.

Cheia de ideias e opiniões, logo Hollis percebe que, por mais que os sentimentos de Jameson sejam verdadeiros, estar ao seu lado a transformaria num simples enfeite. Tudo fica ainda mais confuso quando ela conhece Silas, um estrangeiro que parece enxergá-la ― e aceitá-la ― como realmente é. Só que seguir seu coração significaria decepcionar todos à sua volta…

Hollis está diante de uma encruzilhada ― qual caminho levará ao seu final feliz?

Resenha:

Nem sempre nosso final feliz é o qual imaginamos.

Apesar de amar a escrita de Kiera Cass, quando a duologia "A Prometida" foi anunciada, fui um dos que achava que era apenas uma história na fórmula de "A Seleção", mas desta vez aonde a protagonista iria escolher quem a autora realmente queria - ela era Team Aspen no início de A Seleção, para quem não sabe. Mas, felizmente, eu estava enganado.

A primeira coisa que digo é: esqueça A Seleção. Apesar de o universo de reinado e a sinopse nos fazerem acreditar que é a mesma fórmula, não é. Em "A Prometida" tudo é mais duro e político; os personagens agem em prol de conquistar um espaço no reino, até mesmo Hollis. Ela é bem mais ambiciosa que America - ainda que um pouco aérea ao que ocorre à sua volta -, mas isso não é um demérito, afinal ela não tenta prejudicar ninguém para conseguir seus objetivos. Gostei bastante da forma que Kiera a desenvolveu e quero ver mais de seu crescimento no próximo livro, assim como a rainha Valentina, a segunda melhor personagem.

Os demais também são assim. Com exceção de Silas, o "mocinho perfeito" e que não me cativou tanto, os personagens são humanos e cheio de falhas, e isso é muito positivo. Por mais que gostemos deles, eles podem nos desapontar a qualquer momento. A prova disso é Jameson, que até agora não sei o que pensar de fato. O único grande demérito foi o romance, que não me convenceu - mas ao final do livro, é perceptível que nem isso foi um real problema e seu propósito era bem maior.

A escrita de Kiera está ótima e fluída como sempre. Concordo que algumas cenas parecem sem propósito, mas nem nas mesmas o livro perde o ritmo. E a prova de que a autora não queria escrever um "A Seleção às avessas" são os momentos finais, com um plot twist que não cogitei. É uma pena que a própria Editora Seguinte tenha sabotado sua intenção, escolhendo essa capa brasileira, que só causa uma confusão por parecer muito esteticamente com as da série e ser destoante da proposta de A Prometida - a prova disso são as repetitivas dúvidas dos leitores nos comentários da editora sobre ser mais um livro da primeira série.

No mais, recomendo a duologia. Apesar da maioria dos leitores terem se decepcionado pelo que vi, foi uma história que me prendeu e me deixou curioso pelo futuro. Espero que a continuação feche bem A Prometida e confirme o que venho suspeitando - e torcendo - que Kiera fará.

2 comentários:

  1. Olá!!
    Não sei se fiquei feliz ou triste com o comentário sobre esquecer A Seleção, hahaha. Confesso que estava esperando algo parecido mesmo!!
    Ótima resenha! Que bom que gostou do livro! Já está na minha lista de leitura.

    Beijão
    Leitora Cretina

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. hahahaha Espero que você goste, Mônica. E obrigado!

      Excluir