terça-feira, 28 de julho de 2015

[Resenha] Quem é Você, Alasca? - John Green

Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Looking for Alaska Special 10th Anniversary Edition

Resenha:

Primeira cerveja. Primeiro trote. Primiero amigo. Primeiro amor. Últimas palavras.

John Green é, sem dúvidas, um dos meus autores favoritos. A maneira como ele entende os adolescentes como nós somos é brilhante, por isso ele sempre vai ter seus pontos comigo por isso. Amei A Culpa é das Estrelas e amei ainda mais Cidades de Papel, o que me deixou cada vez mais ansioso por Quem é Você, Alasca?, afinal esse é o melhor livro do autor para muita gente. Ao finalizar a leitura, porém, vi que para mim, ele fica muito abaixo dos dois já citados.

Mas isso não significa que eu não tenha gostado do livro, muito pelo contrário. Ele confirmou mais ainda a minha opinião sobre o John e sua facilidade de retratar e escrever para os adolescentes. Seus personagens são reais, com erros e acertos. São humanos. Adorei e me identifiquei com todos os personagens principais de Quem é Você, Alasca?. Acho que isso é uma dos pontos que mais me fazem fã dos livros do John. Enquanto muitas pessoas criticam Margo e Alasca, por exemplo, eu consigo entender perfeitamente a personalidade das duas.

Alasca, de todos, foi a mais rica. Antes de ler o livro, havia recebido spoiler, mas isso não me fez gostar ou me envolver menos com ela. Miles também foi muito bem desenvolvido e é impossível não torcer por ele. Amei a Hazel, mas depois de ler Cidades... e Quem é Você..., é claro que o John se sente mais livre ao desenvolver um garoto e por também ser um, foi mais fácil me identificar com eles. Principalmente com Miles quando ele descobre que não conhecia a verdadeira Alasca e a ficha de quem está lendo também cai, e percebemos que nós também não conhecíamos a verdadeira Alasca.

Até agora eu penso e penso, mas não chego a conclusão do que realmente Alasca pensou naquele momento. Ambos caminhos são aceitáveis e coerentes. E apesar de Miles ser o principal, é nítido que quando a fase "depois" se inicia, o livro perde um pouco o sentido. E por incrível que pareça, isso não é um defeito. Creio que é esse o real sentimento que John quer passar e ele conseguiu, com certeza.

A única coisa que não me fez dar cinco estrelas para o livro foi que não me conectei tanto com a história, como aconteceu nos outros dois livros do John. Mas isso não diminui ou tira nenhuma das qualidades da história. E na minha opinião, o título brasileiro ficou mil vezes melhor do que a tradução literal do original. Quem é Você... é realmente passa a sensação que o Miles passa na fase "depois". Estou bastante ansioso para ler outras obras do autor e para a adaptação desse livro (e torcendo pela Kaya Scodelario ou a Willa Holland serem a nossa Alasca Young).

Nenhum comentário:

Postar um comentário