domingo, 12 de agosto de 2018

[Resenha] Quem Era Ela - JP Delaney

Autor: JP Delaney
Editora: Intrínseca
Páginas: 336
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: The Girl Before
Compre: Amazon Brasil

É preciso responder a uma série de perguntas, passar por um criterioso processo de seleção e se comprometer a seguir inúmeras regras para morar no nº 1 da Folgate Street, uma casa linda e minimalista, obra-prima da arquitetura em Londres. Mas há um preço a se pagar para viver no lugar perfeito. Mesmo em condições tão peculiares, a casa atrai inúmeros interessados, entre eles Jane, uma mulher que, depois de uma terrível perda, busca um ponto de recomeço. 

Jane é incapaz de resistir aos encantos da casa, mas pouco depois de se mudar descobre a morte trágica da inquilina anterior. Há muitos segredos por trás daquelas paredes claras e imaculadas. Com tantas regras a cumprir, tantos fatos estranhos acontecendo ao seu redor e uma sensação constante de estar sendo observada, o que parecia um ambiente tranquilo na verdade se mostra ameaçador.

Enquanto tenta descobrir quem era aquela mulher que habitou o mesmo espaço que o seu, Jane vê sua vida se entrelaçar à da outra garota e sente que precisa se apressar para descobrir a verdade ou corre o risco de ter o mesmo destino. Com um suspense de tirar o fôlego e um clima de tensão do início ao fim, JP Delaney constrói um thriller brilhante repleto de reviravoltas até a última página. Uma história de duplicidade, morte e mentiras.

Resenha:

Tudo que é seu era dela.

Quando Quem Era Ela foi divulgado entre os lançamentos da Intrínseca, me interessei pela sinopse e fiquei com vontade de lê-lo.

A história é, sem dúvidas, intrigante. O mistério envolve e passamos as páginas sem nem perceber, querendo descobrir o que houve de fato com Emma. JP Delaney consegue nos fazer desconfiar de vários personagens, depois descartá-los só para trazê-los para a desconfiança novamente depois; criando um jogo de gato e rato que nos prende. O desfecho do que aconteceu com Emma não foi uma surpresa, porém o autor reserva outra reviravolta que, dessa vez, conseguiu surpreender e fazer sentido. Só a explicação para uma série de acontecimentos relacionadas à Edward que me incomodou e acho que o autor poderia ter feito algo melhor.

E os personagens também são um ponto negativo, pois nenhum desperta empatia. Por mais que torcemos por Jane e para que ela descubra o que houve antes, é isso: apenas a curiosidade para que tudo se encaixe, e não realmente uma empatia por ela, principalmente por suas decisões burras - porém elas se tornam compreensíveis em determinado momento e a façam crescer no conceito que criamos. Emma, Simon e Edward são personagens previsíveis para quem já teve contato com livros ou filmes do gênero, então suas personalidades e ações não são surpresas, apesar de fazerem a história acontecer.

A escrita de JP é ótima e unida aos capítulos curtos, faz a leitura ser rápida e fluída. No geral, apesar de alguns momentos me irritarem, gostei do livro. Quem curte thrillers deverá gostar, pois ele cumpre bem esse papel, e ao que tudo indica, um filme está sendo produzido. Espero ver como a história - e a casa, principalmente - será adaptada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário