quarta-feira, 27 de maio de 2015

[Resenha] As Gêmeas - Saskia Sarginson

Autora: Saskia Sarginson
Editora: Novo Conceito
Páginas: 320
Classificação: 3/5 estrelas
Título Original: The Twins

As gêmeas Isolte e Viola eram inseparáveis na infância, mas se tornaram mulheres muito diferentes: Isolte tem um emprego glamouroso em uma revista de moda de Londres, namora um fotógrafo e vive em um bairro descolado. Viola, desesperadamente infeliz, luta contra um transtorno alimentar e não faz questão de se ajustar a nenhum grupo. O que pode ter acontecido para levar as gêmeas a seguirem trajetórias tão desencontradas?

À medida que as duas jovens começam a reviver os eventos do último verão em família, terríveis segredos do passado vêm à tona – e ameaçam invadir suas vidas adultas.

Resenha:

Elas eram idênticas em todos os sentidos, até que o impensável as separou.

As Gêmeas é um livro um pouco desconhecido no Brasil. No Skoob, por exemplo, o número de leitores é bastante pequeno e eu mesmo não o conhecia até ver um vídeo no YouTube e me apaixonar pela capa. Aí a Novo Conceito fez minha felicidade ao colocar vários títulos em uma promoção de 9,90, incluindo esse. Infelizmente, a capa e o preço foram umas das poucas coisas que eu gostei no romance de Saskia Sarginson.

Começando pelas gêmeas, não consegui me identificar com as duas durante boa parte da história. Isso só foi acontecer lá pelos últimos capítulos, quando Isolte começa a descobrir algumas coisas - que não posso revelar por conta de ser spoilers. Na verdade, foi bem mais que isso. A partir de um determinado ponto da história, odiei as irmãs pelas atitudes que elas tomavam no passado. Ok, elas não estavam gostando do que estava acontecendo, mas determinada personagem não merecia a forma que elas a tratavam.

Porém com o fim se aproximando, entendi que esse tratamento era necessário para o plot twist da história - que acaba sendo previsível logo do início. Um ponto positivo é que esse acontecimento consegue conectar todas as pontas soltas da história e entendemos porque Issy e Viola tiveram caminhos tão distantes. Inclusive foi quando ele começou a ser desenvolvido lá pela metade do livro que comecei a ler sem conseguir largar o livro - o que aconteceu duas vezes antes disso. Também não gostei dos personagens secundários, apesar de que após a virada do livro, foi possível começar a torcer pelas irmãs e por um final feliz.

Achei a narrativa de Saskia muito monótona em certos momentos e algumas cenas poderiam ter sido cortadas sem alterar o final ou desenvolvimento do livro. Acho que essa demora e "cenas desnecessárias" é que causaram uma sensação de confusão nos leitores, que em certos momentos não sabiam se aquilo era passado ou presente - pois em determinado momento, quando já estamos familiarizados com a narrativa em 1ª pessoa (por Viola) ser a do passado e a em 3ª (por Issy) ser do presente; a de Viola começa a se alternar entre passado e presente.

O final é um pouco vago em relação ao que ocorre depois que os segredos vêm a tona, mas confesso que curti ter sido enganado por ele, pois pensei que aconteceria uma coisa, mas a situação se resolveu de outra forma. E no fim do livro tem uma entrevista com a autora que diz porque ela optou por esse desfecho. Não acho que ele prejudicou a leitura, até porque é meio óbvio o que acontece depois do ponto que a história parou. E não achei que o livro se encaixa no gênero Thriller; ele é mais um Drama, e se você for ler pensando isso, deverá curtir mais a leitura.

No geral, eu não leria novamente, mas não foi a pior história que já li. Acho que a segunda parte do livro - que começa de sua metade, mais ou menos - realmente é muito boa e consegue deixar o leitor curioso, mas não tira os pontos negativos que tirei ao concluir o livro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário