segunda-feira, 25 de novembro de 2019

[Resenha] Senhor das Sombras - Cassandra Clare

Autora: Cassandra Clare
Editora: Galera Record
Páginas: 602
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Lord of Shadows

A ensolarada Los Angeles pode ser um lugar sombrio na continuação de Dama da Meia-Noite, de Cassandra Clare. Emma Carstairs finalmente conseguiu vingar a morte dos pais e pensou que com isso estaria em paz. Mas se tem uma coisa que ela não encontrou foi tranquilidade.

Dividida entre o amor que sente pelo seu parabatai Julian e a vontade de protegê-lo das graves consequências que um relacionamento entre os dois pode trazer, ela começa a namorar Mark Blackthorn, irmão de Julian. Mark, por sua vez, passou os últimos cinco anos preso no Reino das Fadas e não sabe se um dia voltará a ser o Caçador de Sombras que já foi.

Como se não bastasse, as cortes das fadas estão em polvorosa. O Rei Unseelie está farto da Paz Fria e decidido a não mais ceder às exigências dos Nephlim. Presos entre as exigências das fadas e as leis da Clave, Emma, Julian e Mark devem encontrar um modo de proteger tudo aquilo que mais amam — juntos e antes que seja tarde.

Nota: A resenha pode conter spoilers do volumes anterior.

Resenha:

"A ferida é o lugar por onde a luz entra em você."

Dama da Meia-Noite foi um ótimo começo para uma nova trilogia do Universo dos Shadowhunters. Os personagens são cativantes, a trama nos envolve; então você torce e quer saber o que acontecerá com eles com o passar das páginas. E em Senhor das Sombras, não foi diferente.

Julian e Emma são ótimos protagonistas e Cassandra consegue nos envolver com os dois bem mais nesse livro, devido a novas informações sobre a ligação Parabatai e a maldição que o envolvimento romântico envolve. A ligação entre Mark, Cristina e Kieran também ganha novas nuances e foi interessante ver os três interagindo; assim como Ty, Kit e Livvy, que roubam grande parte do livro pela união que desenvolvem entre si. Annabel também é um tipo interessante e dúbio; em nada lembra os problemas que protagonistas anteriores precisaram enfrentar.

O único defeito é sempre o começo arrastado. Os livros de Cassandra sempre possuíram isso, mas nessa série parece ser mais explícito - talvez pela maior quantidade de informações que são dadas. Os capítulos finais são frenéticos - principalmente o último, aqui -, mas os iniciais são longos e cansativos, o que acaba afetando um pouco negativamente a leitura.

Mas exceto isso, continua um ótimo livro e que mostra que Shadowhunter Chronicles ainda possui muito fôlego para mais histórias, devido ao talento de Cassandra para escrevê-las. O final deixa um grande gancho para a conclusão da trilogia, Rainha do Ar e da Escuridão, que não vejo a hora de começar. Espero que seja um final satisfatório.

Nenhum comentário:

Postar um comentário