segunda-feira, 9 de novembro de 2015

[Resenha] Antes Que Eu Vá - Lauren Oliver

Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 368
Classificação: 5/5 estrelas (Favorito no Skoob)
Título Original: Before I Fall

Samantha Kingston tem tudo: o namorado mais cobiçado do universo, três amigas fantásticas e todos os privilégios no Thomas Jefferson, o colégio que frequenta — da melhor mesa do refeitório à vaga mais bem-posicionada do estacionamento. Aquela sexta-feira, 12 de fevereiro, deveria ser apenas mais um dia de sua vida mágica e perfeita. Em vez disso, acaba sendo o último. Mas ela ganha uma segunda chance. Sete “segundas chances”, na verdade. E, ao reviver aquele dia vezes seguidas, Samantha desvenda o mistério que envolve sua morte — descobrindo, enfim, o verdadeiro valor de tudo o que está prestes a perder.

Em uma noite chuvosa de fevereiro, Sam é morta em um acidente de carro horrível. Mas em vez de se ver em um túnel de luz, ela acorda na sua própria cama, na manhã do mesmo dia. Forçada a viver com os mesmos eventos ela se esforça para alterar o resultado, mas acorda novamente no dia do acidente. O que se segue é a história de uma menina que ao longo dos dias, descobre através de insights desoladores, as consequências de cada ação dela. Uma menina que morreu jovem, mas no processo aprende a viver. E que se apaixona um pouco tarde demais.

Resenha:

E se tudo o que você tivesse fosse um único dia?

Eu sou grande fã da trilogia Delírio e isso era motivo suficiente para mim querer conhecer os outros livros da Lauren Oliver. E depois de ver várias resenhas positivas sobre Antes Que Eu Vá, minha ansiedade para lê-lo só aumentou. E após finalizar a leitura, pude comprovar que o livro é mesmo muito bom e não me decepcionou - mesmo não sendo tudo o que li nas resenhas.

Começando por Sam, assim como todo mundo que leu o livro, odiei a personagem e suas amigas no começo e nem senti pena do que havia acontecido com ela até o primeiro dia. Mas eu sabia que isso ia mudar com o passar do livro e por volta do terceiro dia, já estava torcendo pela personagem. O modo como Lauren a construiu tornou Sam tão humana, é inexplicável ver sua transformação ao longo da leitura. Infelizmente, não senti o mesmo por Lindsay. Mesmo com a tentativa de humanização que Lauren tentou fazer, ainda a acho manipuladora e inescrupulosa, nada justifica o que ela fez com Juliet por anos.

As outras duas amigas de Sam, Ally e Elody, também não ganharam minha simpatia; mas adorei Kent, Juliet e Izzy, a irmãzinha de Sam. Destaco a conversa que Sam tem com a irmã e como ela nos faz lembrar que quando éramos pequenos, não nos preocupávamos com a imagem que passaríamos para as pessoas ao nosso redor. Kent, assim como Sam, vai se mostrando uma pessoa totalmente diferente com o passar dos dias e é impossível não torcer pelos dois. E Juliet também, afinal quando as verdades aparecem, a personagem só mostra o quanto foi vítima de Lindsay.

E a história que tinha tudo para ser repetitiva - afinal o mesmo dia se repete sete vezes - é viciante e não perdeu ritmo um minuto. Ela te instiga a saber o que acontecerá no dia seguinte e os desfechos vão mudando de acordo com as escolhas de Sam. Destaco o fim do quinto dia, fiquei de boca aberta e não esperava por esse plot twist. Na minha opinião, aliás, esse é o melhor desfecho de todos. O sétimo e último dia também se encerrou de um jeito que eu não imaginava e deixou um gosto de quero mais. Mesmo assim, acho que ele conduziu bem com a história e a encerrou de forma satisfatória.

No geral, a leitura foi incrível e só me provou o quanto Lauren é uma boa autora. A narração dela é simplesmente fantástica e a mensagem que ela passou com o livro - sobre os preconceitos ou pré-julgamentos que cometemos - foi concluída com mérito. Estou ansioso para ler Desaparecidas e Panic, os outros livros da autora; e para a adaptação cinematográfica do livro. Para quem não sabe, Antes Que eu Vá será adaptado e Zoey Deutch (a Rose de Academia de Vampirosdará vida a Sam. Apesar de não imaginar a personagem como ela, adoro a Zoey e espero que o filme honre a história.

Nenhum comentário:

Postar um comentário