sábado, 3 de junho de 2017

[Resenha] Nerve - Jeanne Ryan

Autora: Jeanne Ryan
Editora: Planeta
Páginas: 304
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Nerve

Você já se sentiu desafiado a fazer algo que, mesmo sabendo que pode se arrepender depois, acaba levando em frente? A heroína deste livro também. Vee cansou de ser só mais uma garota no colégio, e quer deixar os bastidores da vida para assumir seu merecido posto sob os holofotes. 

E o jogo online Nerve, febre nacional transmitida ao vivo, pode ser o início dessa trajetória de sucesso. Basta que ela clique no botão “Jogador” em vez de “Espectador” para entrar na disputa, que propõe, a cada etapa, um desafio novo. A adolescente acaba formando uma dupla imbatível com Ian, um garoto desconhecido com quem trava contato ao se inscrever em Nerve. Juntos, vão galgando posições no jogo. Mas, conforme os dois avançam na disputa, os desafios ficam cada vez mais complexos... e perigosos.

Resenha:

Você é um Observador ou um Jogador?

Desde quando vi o trailer de Nerve e descobri que era a adaptação de um livro, fiquei muito interessado em ler. Acabei assistindo ao filme primeiro, mas ainda assim desejava fazer essa leitura. Além da história chamar bastante minha atenção, queria saber se a ideia havia sido melhor desenvolvida aqui, pois é similar a de The Gameque foi uma decepção.
.
E como foi! A história nos prende desde o primeiro capítulo e é quase impossível parar de ler, de tão frenética. Jeanne conseguiu criar o jogo de uma forma convincente e real, com pessoas dispostas à tudo para conseguir o que querem. E mesmo não concordando com várias atitudes de Vee, provavelmente faríamos o mesmo se estivessemos em seu lugar. A crítica social que a autora faz também é extremamente positiva, pois os Observadores são como o público, que acha que pode dar palpites ou falar mal de famosos simplesmente por eles serem pessoas públicas. O único ponto negativo foram os desafios. Apesar de alguns serem bons, a maioria são bobos se comparado aos do filme.


Em relação aos personagens, muita gente reclamando que todos foram rasos, mas eu gostei deles - não sei se foi por ter visto o filme primeiro. Apesar disso, concordo que durante toda a leitura, ficamos com dúvidas sobre as verdadeiras intenções de Ian, além de não termos um aprofundamento sobre o personagem - mas acredito que isso foi proposital. E Vee e Sydney conseguem se irritantes em alguns momentos, principalmente por algumas discussões infantis e sem motivo. No filme, minha favorita foi Vee, mas aqui gostei bem mais de Tommy.

E falando no filme, ele é totalmente diferente do livro. Apenas o nome dos personagens são mantidos. Os desafios, os prêmios... tudo é mudado. Até situações que são um pouco parecidas ainda conseguem ser bastante diferentes. Felizmente, o filme conseguiu ser tão bom quanto o livro e é um dos raros casos que ambas obras conseguem ter seus méritos. E diferente da adaptação, o livro aposta em um final bem mais realista, mesmo que seja um pouco aberto - e, ao que parece, foi a intenção de Jeanne e ela não pretende escrever uma continuação. Ainda assim mostrou o quão grandioso e perigoso o Nerve é. Queria muito um segundo livro, mas mesmo não acontecendo, Nerve foi uma ótima experiência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário