segunda-feira, 2 de março de 2015

[Resenha] Pandemônio - Lauren Oliver

Autora: Lauren Oliver
Editora: Intrínseca
Páginas: 304
Classificação: 4/5 estrelas
Título Original: Pandemonium

Dividida entre o passado — Alex, a luta pela sobrevivência na Selva — e o presente, no qual crescem as sementes de uma violenta revolução, Lena Haloway terá que lutar contra um sistema cada vez mais repressor sem, porém, se transformar em um zumbi: modo como os Inválidos se referem aos curados. Não importa o quanto o governo tema as emoções, as faíscas da revolta pouco a pouco incendeiam a sociedade, vindas de todos os lugares… inclusive de dentro.

Nota: A resenha pode conter spoilers do primeiro livro.

Resenha:

O amor era uma doença sublime. Até encontrarem a cura.

Depois do final eletrizante de Delírio, corri para Pandemônio. Mas antes, havia lido algumas resenhas e muitos não gostaram tanto desse volume como do primeiro, o que me deixou preocupado, porque muitas séries realmente declinam em suas continuações. Porém, felizmente, não achei isso e adorei o livro!

A ambientação da história é ótima. São dois cenários bem diferentes de Portland (onde o primeiro se passa) e Lauren consegue descrever e nos envolver muito bem em ambos. A alternância entre passado e presente também foi muito bem feita, nos fazendo entender o que causou toda a mudança em Lena, devido aos acontecimentos. E adorei o crescimento dela! Diferente de muitas mocinhas que ficam chorando pelos cantos, ela é centrada e sempre sabe o que fazer, devido ao que passou na Selva.

Conhecemos também novos personagens e gostei bastante de todos, principalmente Julian e Graúna. É interessante o deja vu que Lauren cria, afinal Julian é a "nova Lena", que acredita na cura e ela, o "novo Alex", pois precisa fazê-lo enxergar a verdade. A interação entre os dois é bem construída e crível, devido ao que os dois passam juntos. Já Graúna tem um passado interessante e juntando ao que ela, Lena e os outros passam na floresta, é impossível não torcer por eles - principalmente depois de uma cena tão dolorosa quanto a do cachorro, no primeiro livro.

E a escrita de Lauren só deixa tudo melhor. Como o livro em si é curto, sua escrita ágil e fluída nos faz terminá-lo em pouquíssimo tempo; além de um cliffhanger tão bom quanto o de Delírio - eu diria até superior -, que nos deixa loucos pelo terceiro livro, Réquiem. Se vocês gostarem do primeiro, vale muito a pena continuar; assim como dar uma chance à trilogia, caso não tenha o feito.

Nenhum comentário:

Postar um comentário